InternetData CenterAssinante

Criciúma está entre as cidades afetadas no recebimento de medicamentos para tratamento da Aids

Profissionais da área da saúde relataram a falta de medicamentos nas prateleiras
Criciúma está entre as cidades afetadas no recebimento de medicamentos para tratamento da Aids
Foto: Divulgação/Especial Engeplus
Por Jessica Rosso Crepaldi Em 16/05/2022 às 18:12

Pacientes que vivem com HIV/Aids em Santa Catarina estão relatando a interrupção do tratamento via SUS nos últimos dias. A falta de medicamentos em cidades do Estado ocorre após a troca da empresa contratada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), responsável pelo armazenamento e distribuição dos medicamentos. Criciúma está entre as cidades afetadas do Sul. 

Na última semana, profissionais da área da saúde relataram a falta de medicamentos nas prateleiras. Entre eles estão: Etravirina, Ritonavir, Lamivudina, Atazanavir, Nevirapina, Darunavir, Raltegravir (100mg - utilizado para crianças). O Ritonavir é utilizado para casos leves de Covid-19, junto com o Nirmatrelvir. 

A reportagem entrou em contato com o Governo do Estado de Santa Catarina. A Secretaria de Estado da Saúde respondeu através da assessoria de imprensa, informando que os medicamentos foram recebidos e que já estão sendo entregues para todo o estado. 

“Os municípios e regiões que notificaram desabastecimento de medicamentos estão recebendo. A SES montou uma força-tarefa e está empenhada na regularização do fornecimento dos medicamentos”, informou a Secretaria de Saúde.

Em Criciúma, até esse domingo, dia 15, o serviço ainda não havia sido normalizado. De acordo com o farmacêutico Alander Padilha Michels, na última quinta-feira uma pessoa foi enviada até Florianópolis na busca pelos medicamentos, entretanto os mesmos não foram entregues.

No sábado, dia 14, a empresa realizou a entrega dos medicamentos na Regional de Criciúma, que fez a distribuição nesta segunda-feira, dia 16. Entretanto, outras cidades ainda não foram abastecidas.

Leia mais sobre: