InternetData CenterAssinante

Urussanga: parlamentares votam cassação do prefeito

Vereadores estão reunidos desde às 9 horas na Câmara de Vereadores
Urussanga: parlamentares votam cassação do prefeito
Foto: Divulgação
Por Jessica Rosso Crepaldi Em 16/05/2022 às 18:46

Em Urussanga, está ocorrendo neste momento uma sessão extraordinária para decidir se o mandato do prefeito afastado Luis Gustavo Cancellier (PP), será cassado ou não. As investigações em andamento são decorrentes da Operação Benedetta, desencadeada pela Polícia Federal, em maio do ano passado, na qual resultou no afastamento de Cancellier. 

Os parlamentares estão reunidos desde às 9 horas na Câmara de Vereadores para a votação do relatório final desenvolvido pela Comissão de Investigação e Processante (CIP). 

A previsão é de que o resultado pode sair no início da madrugada desta terça-feira, dia 17. O processo está em segredo de justiça, e por conta disso, a sessão ocorre sem a presença do público e da imprensa.

 

Operação Benedetta 

Entenda o caso - Desde maio, o prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier, está afastado das atividades na prefeitura em virtude da Operação Benedetta, realizada pela Polícia Federal. A  operação investiga uma possível má aplicação de recursos públicos contratados por municípios com a Caixa Econômica Federal para o financiamento de despesas.

A investigação iniciou em setembro de 2020, tendo a fase de maio desencadeada, com o objetivo de obter outros indícios comprobatórios das supostas fraudes que teriam ocorrido em obras de pavimentação e de identificar a eventual participação de servidores públicos nos fatos, além de apurar o destino do montante dos recursos supostamente desviados, que, em apenas uma das diversas obras financiadas, se aproxima de R$ 300 mil. Na época, a ação aconteceu  nas cidades de Urussanga, Orleans, Siderópolis, Tubarão e Criciúma.