InternetData CenterAssinante

Programa de Iniciação Desportiva atenderá cerca de 500 crianças e adolescentes na Unesc

Universidade foi uma das dez selecionadas no estado em iniciativa da Fesporte
Programa de Iniciação Desportiva atenderá cerca de 500 crianças e adolescentes na Unesc
Foto: Marciano Bortolin/Agecom/Unesc
Por Redação Engeplus Em 09/05/2022 às 15:38

O sonho de muitos jovens de se tornarem grandes atletas pode estar mais perto do que eles imaginam. Mais precisamente, no campus da Unesc. Além de todo o atendimento prestado por meio das escolinhas, o curso de Educação Física visa atender, a partir da segunda quinzena de maio, mais cerca de 500 crianças e adolescentes de dez a 16 anos de idade.

Isso será possível por meio do Programa de Iniciação Desportiva (PID), da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte). “Fizemos um projeto há 30 dias para um edital da Fesporte, visando a iniciação esportiva. Todas as universidades do estado foram convidadas e a Unesc ficou entre as dez primeiras colocadas, tendo como gratificação 20 bolsas de estudo para os alunos de Educação Física atuarem no programa de iniciação esportiva”, explica o coordenador do curso de Educação Física, Joni Márcio.

Para esta seleção, conta o supervisor dos monitores das atividades, Tiago Locks Silveira, os 47 acadêmicos inscritos, passaram por entrevistas. “Analisamos o perfil, as modalidades que eles têm mais contato e experiência. Tinham ainda alguns fatores excludentes, então chegamos a 20 selecionados e estamos na fase de capacitação. Tivemos dois encontros falando sobre o PID, quem criou e qual o objetivo de alcance deste projeto”, diz.

O presidente da Fesporte, Kelvin Soares Nunes, diz que esta é uma oportunidade que o Governo do Estado oferece a todos os jovens que desejam ingressar no esporte de maneira qualificada. “Ela de fato instrumentaliza, é uma ferramenta de transformação social que é o esporte, por meio das instituições de ensino superior do estado, e a Unesc é uma grande parceira deste programa, leva às nossas crianças, esta oportunidade de educação, de saúde e de segurança. Porque o esporte representa tudo isso na nossa sociedade”, relata.

Comando dos acadêmicos

Caberá aos acadêmicos selecionados para as bolsas orientar os jovens que participarão das escolinhas.  Para isso, eles estão passando por capacitação e na próxima semana irão às escolas de Criciúma para apresentar o projeto e recrutar os possíveis  alunos atletas. “A ideia inicial deste programa de iniciação é que consigamos posteriormente fomentar a Fundação Municipal de Esportes (FME) com atletas. Temos atividades que já iniciaram como karatê, judô, futebol feminino e vôlei. As outras iremos implantar. Queremos atender cerca de 500 alunos do município todo”, acrescenta Joni.

Além das modalidades que já tiveram início, aqueles alunos que forem ao complexo esportivo da Unesc, podem optar pela prática do futsal, futebol de campo, vôlei, basquete, handebol, natação, atletismo, tênis de mesa, beach tennis, entre outros. “É uma diversidade de modalidades que serão ofertadas no complexo esportivo da Unesc para os estudantes do colégio e das escolas públicas de Criciúma”, enfatiza.

Para participar, basta a criança ou adolescente estar matriculado em uma das escolas da cidade, independente de ser pública ou privada e ter disponibilidade de treinar na Unesc duas vezes por semana, no período vespertino.

Equipamentos recebidos da Fesporte

A Unesc recebeu na última semana, todo o material necessário para dar início ao Programa de Iniciação Desportiva. Entre eles, tatames, redes, bolas de futebol, basquete e vôlei, entre outros. “Todo este material será para desenvolver as atividades. É uma quantidade considerável para que a gente desenvolva as atividades com estes jovens”, fala Joni.

Conforme o supervisor dos monitores das atividades, o objetivo principal é atingir o maior número de crianças e adolescentes possível, aproximando-os das modalidades esportivas tanto individual quanto coletiva. “Para os nossos acadêmicos também é uma grande oportunidade de colocá-los muito próximo do que vão encontrar no mercado de trabalho depois de formados. Estarão um passo à frente daqueles que não tiveram este tipo de atividade desde o início da faculdade”, fala.

No total Santa Catarina contará com 17 Instituições de Ensino Superior habilitadas no projeto, sendo sete nesta primeira etapa.