InternetData CenterAssinante

Uma década do Parque das Nações Cincinato Naspolini: promovendo saúde e mudando Criciúma

Nesta segunda-feira, dia 27, o local completa 10 anos de sua inauguração
Uma década do Parque das Nações Cincinato Naspolini: promovendo saúde e mudando Criciúma
Foto: Rafaela Custódio/Portal Engeplus
Por Rafaela Custódio Em 27/09/2021 às 09:13

Árvores, pássaros, flores, ar puro e um espaço para recarregar as energias. Estas são algumas das atrações do Parque das Nações Cincinato Naspolini, no bairro Próspera, em Criciúma. Trazer qualidade de vida e disponibilizar de forma gratuita opções de lazer são fundamentais para o dia a dia de qualquer ser humano e, há 10 anos, o local oferece essas oportunidades. Nesta segunda-feira, o espaço completa uma década de sua inauguração. 

Com 10 hectares, o espaço possui quadras poliesportivas, academias de ginástica, ciclovia, pista de caminhada, quadras de vôlei e futebol de areia, espaço pet, praça com palco para eventos, cancha de bocha, pistas de bolão, sanitários públicos e vagas de estacionamento. 


Legenda: jovem utilizando a pista de caminhada do parque / Foto: Rafaela Custódio

Apesar de estar construído há 10 anos, o parque está em constante evolução e, nos próximos meses, receberá grandes obras como o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), Centro de Convivência da Terceira Idade (CCTI) e também uma pista de bicicross. A obra será realizada no antigo lago do local. 

A ideia do parque 

André de Luca é arquiteto e urbanista e atua na Prefeitura de Criciúma desde 1996. Foi o profissional que executou o projeto do Parque das Nações Cincinato Naspolini. "A ideia de construir um parque em Criciúma surgiu em governos anteriores ao do Clésio Salvaro, porém ele foi, em 2008, quem conseguiu tirar a ideia do papel e realmente montar um espaço ao público. Nós visitamos um parque na cidade de Caçador (SC) e começamos a desenvolver o projeto em Criciúma", lembra. 

O arquiteto e urbanista conta que cada detalhe foi traçado para atender a população. "Pensamos nas etnias, no setor administrativo, no lazer das famílias, no esporte e também na parte ambiental. Cada setor do local foi desenvolvido para atender todos os públicos de Criciúma", explica. "A locomotiva que existe no parque foi ideia do prefeito e, a partir do pensamento dele, desenvolvemos outros, como a estação e as paradas do trem", completa. 

Terezinha: a locomotiva 

A locomotiva foi construída pelo Museu Ferroviário de Tubarão, numa parceria entre a Prefeitura de Criciúma e a Ferrovia Tereza Cristina (FTC), sendo uma réplica de um modelo alemão da década de 1920. Já a estação é uma reprodução histórica da primeira parada da história da cidade de 1919, da Estrada de Ferro Donna Thereza Christina.


Legenda: locomotiva Terezinha / Foto: Thiago Hockmüller 

"A FTC acredita que a construção de um relacionamento de qualidade e confiança com as comunidades é feito por meio de iniciativas, parcerias e diálogo. E, por isso, realiza ações e projetos que contribuem para a valorização sociocultural, desenvolvimento econômico local e conservação do meio ambiente", informa a empresa. 

O percurso do trem é de 800 metros, com capacidade para 40 pessoas. O passeio dura em média sete minutos. Ele funciona de terça-feira a domingo, das 8 às 11 horas e das 13 horas às 15h30. Já aos fins de semana está aberto das 14 às 18 horas. 

Luiz Arnaldo Ribeiro trabalha há seis anos no parque e é o maquinista da locomotiva. "Trabalho há décadas na Prefeitura de Criciúma, mas há quatro anos sou o maquinista do trem. Sou extremamente feliz com o meu serviço. Trabalhamos em meio a natureza e em um lugar aberto. É o sonho de qualquer ser humano", conta.

De acordo com Ribeiro, o trem recebe, em média, 1,5 mil pessoas por semana. "Recebemos visitantes de todas as idades. A locomotiva é a atração do parque e temos muito carinho por ela e pelas pessoas que passam por aqui", afirma. 

Palco: a lembrança de uma mina de carvão 

Todo o projeto foi pensado nos mínimos detalhes e o palco não foi diferente, como explica o arquiteto e urbanista André de Luca. "O palco possui uma estrutura de concreto com uma capa metálica com a forma geométrica para lembrar o plano inclinado de uma mina de carvão", detalha. "O palco sempre foi um atrativo do parque, pois o local é utilizado para shows, danças e eventos em geral. Esta também foi uma ideia desde o projeto", completa. 


Legenda: Palco do parque / Foto: Thiago Hockmüller 

Por que no bairro Próspera? 

O arquiteto e urbanista explica que o endereço foi escolhido por diversos engenheiros e profissionais que atuaram no projeto. "Foram visitados diversos locais em Criciúma, mas o terreno estava vago. Era um ponto estratégico e que mudaria o visual da região", comenta André. 

A infraestrutura em torno do parque também mudou, assim como a Avenida Estevão Emílio de Souza. "Esta rua era apenas uma mão, porém sabíamos que o fluxo ia mudar no local, então, nós duplicamos a via. Além disso, construímos duas rótulas no início e no fim da avenida", recorda o arquiteto e urbanista. 


Legenda: avenida Estevão Emílio de Souza​ / Foto: Thiago Hockmüller 

Parque das Nações Cincinato Naspolini: entenda o nome 

Nascido em Urussanga, em 12 de março de 1893, Cincinato Naspolini foi nomeado prefeito de Criciúma em 1930 e permaneceu no cargo até 1933. Foi eleito vereador em 1936 e presidiu o legislativo até 1937. 

"Existia uma praça próximo ao atual parque com o nome de Cincinato Naspolini, mas o local não existiria mais com a nova obra e, por isso, o ex-prefeito foi homenageado e seu nome foi registrado na história de Criciúma", conta André de Luca . "As nações representam as etnias de Criciúma", completa o arquiteto e urbanista. 

Na vida pública, Naspolini contribuiu com a criação e construção do Hospital São José (HSJ), do Grupo Escolar Professor Lapagesse e da Praça Nereu Ramos. Ele morreu aos 92 anos, no dia 10 de junho de 1985.

O diretor de turismo da Fundação Cultura de Criciúma (FCC), Ismail Ahmad Ismail, explica que o nome do parque inclui 'nações' em virtude das etnias da cidade. "Essa relação que Criciúma possui com as etnias já é uma relação existente com a miscigenação e pluralidade gastronômica, étnica e temos representantes das sete etnias já tradicionais, mas temos outras etnias que compõem a essa grande raça no povo criciumense. Nossa intenção foi homenegear todos os povos", conta. 


Legenda: bandeiras das sete etnias que possuem no parque / Foto: Thiago Hockmüller

Rua da Gente: um complemento do parque 

O projeto Rua da Gente foi inaugurado em abril de 2019 com a proposta para recreação e atividades esportivas. A rua conta com 580 metros de extensão e teve um investimento de aproximadamente R$ 880 mil em uma parceria público privada com a participação das empresas Millenium, Construtora Nelgui, Artevila e JS.


Legenda: Rua da Gente recebendo eventos em 2019 / Foto: Thiago Hockmüller/Arquivo 

Além da pavimentação asfáltica, o espaço ganhou uma arquibancada, batizada com o nome de Adilton Carlos Ronsani, em homenagem ao “Cowboy do Maverick”, que faleceu no dia 10 de abril daquele ano. A via fica fechada aos sábados, das 15 às 21 horas, e no domingo, das 8 às 21 horas. 

O dia a dia do parque 

A Prefeitura de Criciúma oferece aulas de boxe, bolão, bocha, boxe, judô, mosaico, dança e passinho de 80/90, zumba e vôlei para as crianças. "Atualmente, trabalham 20 pessoas no parque, entre funcionários do governo municipal e terceirizados. São mais de 10 mil pessoas que passam pelo local semanalmente, totalizando mais de 40 mil por mês. É necessário manter a manutenção, limpeza e todos os cuidados necessários para um ambiente familiar, que é a proposta do Parque das Nações Cincinato Naspolini", explica o administrador do local, Guilherme Bonassa

Atualmente, o parque conta com um restaurante que é mantido pela etnia portuguesa. "O estabelecimento funciona de segunda-feira a sábado para almoço. São servidas 40 refeições por dia", comenta Bonassa.  

Eventos mês de outubro 

08/10 eventos para as crianças com o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Criciúma 

12/10 piquenique das crianças da igreja Assembleia de Deus 

17/10 exposição de carros antigos com mais de 200 veículos

União das Etnias de Criciúma 

O presidente da União das Etnias de Criciúma, George de Luca, falou sobre o parque e a homenagem do município. "É um local que deu muito certo, tanto que a Prefeitura desenvolveu mais dois parques. É um espaço que foi um pensamento das etnias e que batalharam por ele. Atualmente, estamos em busca de ambientes para construirmos as casas de cada etnia e esperamos que em breve isso seja resolvido, pois trará ainda mais visitantes", comenta. 

Segundo George, o local que hoje funciona como um restaurante foi doado para a União das Etnias. "É um espaço liberado para fazermos eventos e utilizarmos a cozinha que está a disposição, mas, por causa da pandemia do coronavírus, não podemos fazer neste momento. Para o futuro será pensado em algo. As mesas do local possuem as sete bandeiras das etnias que formam o município: italianos, poloneses, alemães, negros, portugueses, espanhóis e árabes", destaca. 


Legenda: espaço da União das Etnias de Criciúma no parque. Atualmente o espaço é utilizado como restaurante / Foto: Thiago Hockmüller 

Uma Unidade Básica de Saúde de Criciúma 

O secretário de Saúde de Criciúma, Acélio Casagrande, trata o Parque das Nações Cincinato Naspolini como uma Unidade Básica de Saúde (UBS), e ele tem motivos para isso. "Os parques se tornaram mais do que uma UBS. O espaço traz promoção à saúde. É uma regrinha básica, ou seja, promoção, prevenção e tratamento. A promoção e prevenção caminham juntos. Isso evita tratamentos em hospitais do município e ainda ajuda a economia, pois evitamos gastos com medicamentos e internações, por exemplo", observa. 

Segundo Casagrande, a qualidade de vida dos criciumenses mudou significativamente. "Tivemos reflexos na saúde pública e isso é notável por qualquer profissional da área. Posso citar os diabéticos, que nós conseguimos medir o antes e depois. Os pacientes começaram a utilizar as pistas de caminhada e também as academias do parque e isso trouxe melhoras na saúde, principalmente em relação ao nível de glicose. A qualidade de vida melhorou e isso não podemos negar", destaca. "A pandemia do coronavírus dificultou diversos programas que teríamos nos parques, mas também mostrou a importância dos locais abertos para fazer caminhadas, andar de bicicleta e praticar esportes ao ar livre", completa. 

A região mudou, a Próspera evoluiu 

A presidente da Associação de Moradores do bairro Próspera, Eliege Santiago, mora na localidade há 60 anos e conta que a região mudou consideravelmente com a chegada do Parque das Nações Cincinato Naspolini. "Os moradores participam diariamente da rotina do parque e acompanham as mudanças. Nós percebemos a evolução que o local nos trouxe. Atualmente, os moradores da grande Próspera não precisam mais sair daqui, pois temos tudo e sabemos que o Parque das Nações Cincinato Naspolini contribuiu, e muito, para o desenvolvimento da localidade", analisa. 

Além de presidente da Associação de Moradores, Eliege trabalha no parque há mais de um ano. "Temos certeza que foi um dos maiores presentes do Governo de Criciúma deu aos moradores da Próspera, que ainda receberam a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), por exemplo, que também é perto do parque. Tudo está próximo e nós crescemos muito nos últimos dez anos. Sabemos que o parque tem uma grande participação neste crescimento", destaca.

Silvia Regina Zeferino Correa mora há 40 anos no bairro Próspera e viu de perto a construção do parque. "Era uma área completamente de pirita e que tinha pouca utilidade. Hoje, é bem diferente. Sabíamos que a construção de um parque nos traria benefícios, mas não imaginávamos tanto. Caminho diariamente no local com minha mãe e meus netos também utilizam o parque para lazer e piquenique", conta. 

Jhessica Teixeira é moradora do bairro Presidente Vargas, mas também frequenta o parque. "Tenho dois filhos e é um local que consigo trazê-los para brincar com segurança, pois é um ambiente familiar e com opções para os nossos pequenos", afirma. 

O diretor de Operações do Criciúma Shopping, Edmilson Martins, também falou sobre as mudanças do local. "O município mudou nos últimos anos e a gente passou de uma cidade mais modesta para um polo regional. Começou com a implantação da Avenida Centenário, depois com a construção, há 25 anos, do Criciúma Shopping nesta área que era desocupada e de mineração. Mas realmente faltava um parque", admite. 


Legenda: estação da locomotiva Terezinha e ao fundo o Criciúma Shopping / Foto: Thiago Hockmüller 

Segundo Martins, o Parque das Nações Cincinato Naspolini foi o primeiro desse porte em Criciúma. "Nós viajávamos para outras regiões e admirávamos as cidades que possuíam esse tipo de local público. Foi o primeiro, muito bem projetado e, hoje, se transformou no centro dessa região da cidade. Como o Criciúma Shopping, achamos muito estratégico estar ao lado dele, porque certamente o parque impulsionou a região como um todo e embelezou Criciúma", afirmou.

Não houve melhoras só para o shopping, mas para toda a região. "Talvez se não tivéssemos o parque nessa localização, não teríamos também o Centro Médico representado pela Unimed, talvez uma das pontas da Via Rápida não seria onde é, talvez os hotéis não estariam ali instalados, talvez até mesmo a Rua da Gente não existiria, assim como as diversas operações gastronômicas que hoje ocupam o entorno", acrescenta. 

O presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin, também destacou a importância do parque na economia da cidade. "Com certeza, a construção do Parque das Nações valorizou o bairro Próspera, promovendo o bem-estar da comunidade daquela região, assim como de toda a cidade. Tornou-se um espaço de lazer, favorecendo o crescimento socioeconômico de Criciúma e região, uma vez que empresas e investidores buscam regiões que promovam educação de qualidade, saúde, cultura e bem-estar para a sua população".

Como é trabalhar em um parque? 

A reportagem do Portal Engeplus esteve no parque e conversou com os trabalhadores sobre suas funções e o dia a dia do local. 

Eli Leopoldo, monitor: "É muito bom e gratificante. Sou monitor do parque e estou diariamente cuidando do patrimônio público. Oriento as pessoas sobre os cuidados com o local. Convivemos com muitas pessoas diariamente e fizemos amizades. Estar rodeado da natureza é algo que não tem preço".

Edevaldo Cardoso Machado, agente de manutenção: "É um ambiente descontraído. A natureza faz diferença, pois trabalhamos ao ar livre e tenho certeza que faz total diferença, principalmente para a saúde mental. São mais de cinco anos trabalhando no parque e sou grato pelo serviço e pelas pessoas que conhecemos diariamente". 

Guilherme Bonassa, administrador do parque: "Estou aqui sete dias por semana. O parque é a minha casa, pois tenho satisfação de vir para cá. É um local familiar que traz cultura, constrói amizades e gera saúde às pessoas. É a praia dos criciumenses e sabemos que os munícipes são felizes com os parques da cidade". 

Eliege Santiago, recepcionista da estação de trem: "Tenho alegria de trabalhar no parque e de ver a felicidade das pessoas que passam por aqui todos os dias. É um lugar mágico e que traz saúde e bem-estar. Recebemos tantos visitantes e isso nos deixa satisfeitos com o nosso trabalho". 


Legenda: funcionárias do parque realizando a limpeza do local / Foto: Thiago Hockmüller

Em constante evolução 

O Parque das Nações Cincinato Naspolini existe há 10 anos, mas a Prefeitura de Criciúma está buscando a cada dia mudanças no local, como o Centro de Convivência da Terceira Idade (CCTI), que será inaugurado no dia 6 de janeiro de 2022.

A nova estrutura contará com 1,546,21 m². O recurso para construir o Centro do Idoso foi viabilizado através de convênio entre Prefeitura de Criciúma e Fundo de Desenvolvimento Municipal (Fundem) e o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Criciúma. O governo municipal investirá R$ 3.521.725,21. A empresa responsável pela execução da obra é a BRE Construções.


Legenda: obras do CCTI no parque / Foto: Divulgação

As atuais oficinas oferecidas pelo CCTI são: arteterapia, vivências, informática, alongamento, ritmo de salão, yoga, ballet, dança de salão, dança coreográfica, violão, teclado, canto coral, bocha, bolão, vôlei, artesanato, tricô, crochê, ginástica, treinamento funcional, ritmos (zumba), canastra, truco, dominó e xadrez. 

"Hoje, os parques se tornaram referência no município. Mas não podemos ficar parados após as construções. É necessário buscar o melhor diariamente, e é isso que o governo do prefeito Clésio Salvaro faz", comenta o secretário de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Tita Belloli

Segundo Belloli, o CCTI trará benefícios aos idosos e privilegiará a população com um local adequado ao público. "Temos estacionamento para ônibus de visitantes, para carros e conseguiremos atender todos os idosos com suas oficinas em um ponto estratégico da cidade". 

Além do CCTI, o parque terá o Centro de Atendimento ao Turista (CAT). Esta foi uma proposta do vereador Nícola Martins (PSDB). Ele protocolou a Indicação 947/2021 em julho na sessão da Câmara. O local deve ser inaugurado em outubro. "Será um local que os visitantes poderão receber informações sobre o município e terão acesso ao site da cidade. Ainda teremos um vídeo institucional de Criciúma e os visitantes serão orientados sobre pontos turísticos.  Também iremos utilizar o local como centro de informação e vamos levar a guarda municipal, taxistas, recepcionistas de hotéis e garçons serão convidados para um workshop sobre turismo para todos serem incluídos no processo", comenta o diretor de turismo da Fundação Cultura de Criciúma (FCC), Ismail Ahmad Ismail


Legenda: montagem do CAT / Foto: Thiago Hockmüller

Já a pista de bicicross ainda está em fase de estudo, mas será executada no antigo lago do parque. "Nós fomos para São Paulo visitar o parque das bicicletas. Já estamos fazendo um estudo. Não é o projeto, ainda não sabemos se será de asfalto ou terra, por exemplo, mas sabemos que teremos um local para prática de manobras com bicicleta no local", afirma o presidente da Fundação Municipal de Esportes (FME), Neto Uggioni


Legenda: antigo lago e local que será construída a pista de bicicross / Foto: Thiago Hockmüller

Clésio Salvaro visita Parque das Nações Cincinato Naspolini e relembra as obras 

O prefeito Clésio Salvaro esteve no Parque das Nações Cincinato Naspolini com a reportagem do Portal Engeplus e relembrou do primeiro parque da cidade. "No meu primeiro mandato, minha ideia era projetar Criciúma como uma grande cidade e trazer qualidade de vida para as pessoas. Pensei na parte cultural, no bem-estar e um lugar agradável para as famílias, e surgiu a ideia de criar o parque", recorda. "Encontramos no bairro Próspera um local de quase 100 mil metros quadrados e nos ajudaria a executar o projeto, e assim fizemos", completa. 

Segundo Salvaro, o parque também era uma ideia para reunir todas as etnias. "É um local democrático que atrai todas as classes, gêneros e religiões, por exemplo. É um parque inclusivo e que promove saúde. Não temos praias, certo? Pois bem, temos parques", afirma. 

Pensando no futuro 

Atualmente, o parque possui um carrinho elétrico que é utilizado por funcionários e até mesmo para ajudar os usuários do local. De acordo com o chefe do Poder Executivo, o Parque das Nações Cincinato Naspolini receberá nos próximos meses energia fotovoltaica, que é a energia elétrica produzida a partir de luz solar, e pode ser produzida mesmo em dias nublados ou chuvosos. 


Legenda: funcionário do parque dirigindo o carrinho elétrico / Foto: Rafaela Custódio 

Salvaro: um dia como maquinista 

Ao visitar o parque, Salvaro lembrou a razão por trás da ideia de instalar uma locomotiva no local. "Todos os parques de Criciúma possuem uma identidade própria. Na Próspera, pensamos na locomotiva, pois é a história da cidade. Além disso, um passeio de trem atrai visitantes de todas as idades. A ideia veio para realmente homenagearmos a história da cidade e que todos pudessem relembrar os momentos vividos em uma estação de trem, por exemplo", conta. O prefeito ainda aproveitou a visita para aprender a ser maquinista.

Prefeito dos parques?  

Atualmente, além do Parque das Nações Cincinato Naspolini, Criciúma possui o Parque Dos Imigrantes no distrito do Rio Maina e Parque Municipal Prefeito Altair Guidi no bairro Pinheirinho. Mas o município está projetando mais um parque no bairro Santa Luzia. O prefeito de Criciúma falou sobre a importância dos locais e também destacou as obras do município.