navegue nos blocos da capa

Viagens

Siderópolis

O luar é um convite na Barragem do Rio São Bento

08
ABR
2017
| 12h00
12h00
Denis Luciano
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Denis Luciano

Quando concebida e inaugurada, há dez anos, a Barragem do Rio São Bento nascia não somente sob a perspectiva de garantia do abastecimento de água. “Ela será um importante aparelho turístico para a região”, previa, em 2006, o então prefeito José Antônio Périco, de Siderópolis.

O tempo passou, as belezas naturais lá estão, mas o proveito turístico não vingou. Aberta à visitação, a barragem é ponto de convergência de visitantes, mas falta infraestrutura. A pequena estrada de acesso é esburacada e sinuosa. Uma ponte de mão única passa sobre o rio São Bento, depois que ele vaza do grande muro de contenção da água.

Para quem chega, um estacionamento improvisado e a calçada, que faz o contorno de parte do grande lago cercado e leva até o ponto chave. Ali, na noite da última quarta-feira, apenas um poste oferecia a iluminação. “A manutenção é periódica, temos seis funcionários que servem à barragem, sempre há um de plantão ali. E todos que trabalham na barragem são eletrotécnicos e eletricistas”, justifica Antônio Adílio, chefe de manutenção do escritório da Casan em Criciúma. Ainda assim, apenas um poste, o mais próximo do muro, na extremidade da calçada, estava iluminado na noite visitada. Os demais, apagados.E é nas profundezas deste lago que adormecem inúmeras histórias.

Menos mal que a lua dava o seu recado. A noite clara, de céu limpo, era emoldurada pela bonita lua que brilhava no espelho d´água. Aí, mais uma das belezas naturais que serviriam de um interessante vetor de desenvolvimento do turismo, caso tivesse havido investimento neste sentido. O luar é indescritível na barragem. Alheios às belezas noturnas, há os que procuram os arredores da barragem para um banho de rio nos dias quentes de verão.

Água tem em abundância

Quanto à principal missão da barragem, que é servir a região com água, ela está sendo cumprida com louvor. “Não temos falta, não há risco algum”, salienta Adílio. A barragem foi concebida há uma década com a perspectiva de crescimento da população atendida, mas ainda possui larga margem de segurança. 

Hoje, são atendidos os consumidores de Criciúma, Içara, Forquilhinha, Siderópolis, Nova Veneza e Maracajá. “Obviamente que, em tempos de estiagem, o controle precisa ser mais apurado”, argumenta.

A Barragem do Rio do Salto, que está por sair do papel em Timbé do Sul, não trará qualquer impacto para a Barragem do Rio São Bento. “Turvo e Ermo, que se abastecem da Casan na AMESC, já se servem do Rio do Salto. A demanda será toda centrada no Vale do Araranguá mesmo”, conclui.

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
A arte circense invadiu a UnescO Dráuzio Varella de Carandiru dá o recado no Festival ReviradoVÍDEO: A aposta do Criciúma é no campeão Beto CamposAgora é contagem regressiva para a Feira do LivroVÍDEO: Trailer Modo História de Call of Duty WWIIEspingarda artesanal e mudas de maconha são apreendidas em serralheria