InternetData CenterAssinante

Impressões em 60 minutos - Citroen C4 Lounge THP 2017

Portal Engeplus testou o modelo da montadora francesa
Impressões em 60 minutos - Citroen C4 Lounge THP 2017
Foto: Vinicius Alexandre
Por Redação Engeplus Em 01/10/2017 às 06:13
                                                     Especial - Vinícius Alexandre R. Fabrício

Na última semana fui convidado a testar outro veículo da montadora francesa Citroen e para minha surpresa e alegria, o modelo disponibilizado era o C4 Lounge THP, carro que sempre tive uma grande curiosidade em testar. Sedã médio de corpo Francês e coração Alemão, já que sob o capô está um motor da montadora alemã BMW.

O carro é bem harmonizado em suas linhas que casam bem com o belíssimo conjunto óptico, detalhes cromados e pra completar e dar o toque final, belíssimas rodas de liga leve.

Internamente, o espaço é digno para um sedã médio e o bom nível de qualidade do acabamento é compatível com a proposta do veículo – ser “Premium” na sua categoria. É tudo bem encaixado, ergonômico, sem improvisos. A impressão que me passou é que tudo foi exaustivamente pensado e planejado de modo a criar um ambiente bonito e sobretudo confortável.

O volante é bonito e tem o tamanho ideal, contando com comandos sistema multimidia e do piloto automático. O painel mescla itens analógicos e digitais divididos entre três núcleos circulares, sendo possível alterar a intensidade da iluminação, as cores e ainda, por meio de um botão no painel central, desligar a iluminação, que creio eu deve ter o objetivo de aumentar o conforto visual durante uma viagem à noite, por exemplo.

Ao centro além do botão já referido se encontra o esperado sistema multimídia, com navegador GPS e tela Touchscreen. Ali o usuário do veículo tem acesso também ao sistema de som (muito bom por sinal), espelhamento de telefones celulares (tanto android como IOS) e a câmera de ré, que facilita bastantes as manobras de estacionamento.

Também ao centro os controles do ar condicionado dual zone e também botões para controle das funções principais do sistema multimídia. Neste ponto destaco que o sistema de som também possui entrada para CDs, o que possibilita aos usuários utilizarem suas mídias antigas sem a necessidade de transferir o conteúdo para um pendrive. E assim querendo ou necessitando, no modelo testado há um espaço interno de armazenamento para onde é possível transferir suas músicas, sem a necessidade de utilização continua de um pendrive.

Por fim, no centro e acima estão os controles do teto solar, que combinou bem com o carro.

Os bancos são revestidos em couro de boa qualidade, com acabamento impecável. São ainda confortáveis e dão bom suporte lateral (abas) nas curvas. Nos traseiros o sempre útil apoio de braços central está também disponível.

A partida se dá por meio de um botão, já que o carro conta com o sistema Start/Stop e chave presencial, e assim eu dou início a parte mais esperada do teste, a de direção, para saber se o carro realmente anda bem ao ser impulsionado pelo motor BMW.

O motor 1.6 turbo rende  173 cavalos se abastecido com etanol e 166 cavalos quando ingerindo gasolina e faz do carro algo extremamente prazeroso de dirigir. Obviamente que não se pode esperar o desempenho de um esportivo nato, até porque não é esta a proposta, mas o coraçãozinho alemão faz o carro andar muiiiiiito bem.

Mérito também para a boa caixa de 6 velocidades da japonesa Aisin, bem escalonada e ágil nas trocas e reduções. Vale dizer que seria um pecado imperdoável um motor tecnológico desses em uma caixa de cambio ultrapassada e lenta. Conjunto perfeito, contando ainda com modo econômico e esportivo.

De nada adiantaria andar bem se não fosse seguro ao contornar curvas, frear ou mesmo em uma situação de emergência.

E nesse ponto o carro também se saiu muito bem. Faz curvas com segurança e sem sustos mesmo que se abuse um pouco da velocidade. Freia bem e de forma suave, contudo se exigido numa situação de emergência (a qual eu sempre tento simular) os freios se mostram firmes e precisos, capazes de imobilizar o veículo com segurança em um espaço relativamente pequeno (mérito do conjunto de freios a disco nas quatro rodas e demais assistências eletrônicas de frenagem).

Freando forte e em curva fechada é possível sentir a eletrônica atuando, ajudando a manter a trajetória do veículo sem destracionar qualquer uma das rodas. Sem sustos, um show de tecnologia.

Mas, como se costuma dizer que nada é perfeito, na minha opinião o pecado cometido pela Citroen está no porta malas, e não, não pense que ele é pequeno, o tamanho é ótimo e compatível com um sedã médio, porém ele guarda o pneu estepe - com roda de aço. Um pecado pois o carro merecia um estepe com roda de liga-leve mantendo o padrão.

Para os interessados, a gerente da concessionária me contou que o modelo também está disponível para compra com isenção de impostos para portadores de necessidades especiais.

O veículo foi cedido gentilmente pela Concessionária Le Monde Veículos Criciúma.