InternetData CenterAssinante

Com técnica única, artista criciumense mais uma vez é catalogado no exterior

Este é o terceiro catálogo que as obras de Manoel da Siva são selecionadas
Com técnica única, artista criciumense mais uma vez é catalogado no exterior
Foto: Mariana Noronha
Por Mariana Noronha Em 20/08/2015 às 08:29

 Depois de se aposentar como mineiro, Manoel da Silva, de 54 anos, começou a ocupar o seu tempo livre produzindo obras de arte, as quais contém uma característica única. Hoje, 15 anos depois, é um artista plástico reconhecido no mundo inteiro, e pela segunda vez teve uma obra selecionada para um catálogo internacional.

O catálogo parte de uma iniciativa da Associação Internacional de Artistas e Escritores (Literarte), com sede no Rio de Janeiro, a qual Manoel é membro. Lançado, no dia 14 de agosto, em Foz do Iguaçu, o catálogo é uma homenagem à colônia italiana e deve circular por toda a Itália a partir deste mês. O artista já saiu também na Enciclopédia de Artistas e Escritores em Homenagem aos 800 anos da língua portuguesa, produzido pelo governo federal.

Técnica única -  Segundo ele, desde que iniciou os trabalhos artísticos sempre procurou colocar nas obras um pouco da sua identidade. "Muitas obras diferenciam um artista de outro somente pela assinatura, e eu queria algo diferente. Queria que as pessoas olhassem para as minhas obras e já percebessem que elas são minhas", diz. Manoel trabalha com diversas técnicas, mas sua principal característica é a utilização da argamassa, deixando os quatros em evidência, como se fossem 3D. "Sou o único artista que trabalha com a argamassa, por isso acho que fui selecionado para esses catálogos, minha obras são diferenciais", comenta.

Leia mais sobre: