InternetData CenterAssinante

Prefeitos participam de audiência pública para debater pedagiamento da BR-101 Sul

Encontro não teve a presença de representante da ANTT
Prefeitos participam de audiência pública para debater pedagiamento da BR-101 Sul
Foto: Divulgação
Por Redação Em 08/11/2019 às 19:04

Os prefeitos, deputados, empresários e lideranças da região sul de Santa Catarina participaram hoje pela manhã, dia 8, em Tubarão, da audiência pública que discutiu a instalação de quatro praças de pedágio na BR-101. A audiência foi proposta pelo deputado estadual Volnei Weber, e nenhum representante da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) compareceu. Ficou determinado que uma representação em conjunto com as associações de municípios do Sul e da Fecam será entregue ao Tribunal de Contas da União, Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual, contra a instalação destes pedágios. Um ofício também será entregue diretamente ao presidente da república, Jair Bolsonaro (PSL).

O deputado Volnei Weber chegou a ler a resposta dos representantes da ANTT no Estado, justificando o não comparecimento na audiência. Eles ainda pontuaram que foi encaminhado a agencia da ANTT em Brasília, mas que não houve respostas.

O vice-prefeito de Içara, Sandro Serafim, foi o primeiro a se manifestar quando o microfone foi aberto para a plateia presente. Ele lembrou que Içara é cordada pela BR-101 em quase 20km, que quase nunca foram ouvidos. Que a BR-101 apresenta vários problemas na entrado do município, e que muitas vezes quem faz a manutenção é o próprio município. “Porque sermos penalizados agora com por cinco praças (de pedágio) e mais caros? Porque lá tem mais carro? É é porque fomos penalizados com a falta de duplicação. Se não tivemos um acordo, nós temos que voltar a fazer a marcha pela redução de praças e de valores. É uma injustiça o que estão fazendo”, disse em discurso.

O diretor executivo da Amrec, Vanderlei Alexandre se manifestou durante audiência, propondo a judicialização e manifestações. “Temos que acordar essa população. Precisamos fazer manifestação, trancar a BR e fazer um barulho", disse.

“Falamos para nós mesmos, mas foi importante porque é uma audiência da nossa assembleia e do nosso povo. Analisando e estudando o processo de concessão da rodovia, encontrou-se muitas inconsistências e irregularidades, algumas delas gravíssimas. Aprovamos encaminhamentos desse processo para judicialização”, anunciou Volnei Weber.

Concessão

O edital de concessão, que prevê a administração de 220 quilômetros da rodovia à iniciativa privada pelos próximos 30 anos, com instalação dos pontos de cobrança com tarifa máxima previstas de R$ 5,19.

Colaboração: Antonio Rozeng - Assessoria de Imprensa 

Leia mais sobre: