InternetData CenterAssinante

Duplicação da BR-101 tem 48 pontes em operação

O segmento no Lote 28, entre Criciúma a Araranguá, é o único a não ter pontes
Duplicação da BR-101 tem 48 pontes em operação
Por Redação Engeplus Em 20/01/2019 às 10:55

A ponte sobre o Rio Tubarão, no km 336, que abriga o fluxo de veículos no sentido Sul-Norte daBR-101 Sul catarinense é a quadragésima oitava ponte sobre rios que a rodovia federal corta. Liberada em setembro de 2016, a estrutura recebe entre dez a 18 mil veículos por dia e, assim como as outras travessias, complementa o conjunto de obras de arte especiais (OAEs) no projeto de expansão rodoviária iniciada em 2005. Enquanto esta ponte foi totalmente construída, outras foram adequadas aos novos padrões da duplicação, ganhando reforço e ampliação de pista.

A construção da Ponte Anita Garibaldi é a maior travessia sobre rios ou lagoas da duplicação da BR-101 Sul catarinense. Com 2.830 metros de extensão, a ponte liga Laguna a Pescaria Brava sobre a lagoa de Santo Antônio dos Anjos, com o fluxo de veículos em pista dupla. Em tamanho só perde para o elevado de Araranguá, no km 409, com 2.030 metros de pistas. A segunda foi construída sobre o Rio Araçatuba, no km 271, em Imbituba.

De Palhoça a Passo de Torres, divisa com o Rio Grande do Sul, a BR-101 Sul teve a construção de 28 novas pontes e adequação de outras 20. O trecho com o maior número está entre os municípios de Palhoça a Imbituba, com 24 estruturas concluídas (doze novas e doze alargadas e reforçadas). No Extremo-Sul, entre Laguna a Araranguá, 20 pontes estão liberadas, integrando os Lotes 02 (ponte Anita Garibaldi), 25, 34 e 35 de obras de arte especiais (OAEs), sendo que a nova ponte do Rio Tubarão pertence a lote único. Outras quatro estruturas estão liberadas no Rio da Laje, em Sombrio, no km 437.

De todos os lotes de duplicação, o segmento no Lote 28, entre Criciúma a Araranguá, é o único a não ter pontes construídas ou adequadas. O lote, porém, tem o maior elevado liberado ao fluxo de veículos, com 1.736 metros, próximo ao km 404, sobre o banhado de Maracajá. No lote de Obras Complementares, que estão sendo executadas entre o km 300 (Laguna) ao km 358 (Sangão), está projetada nova ponte sobre o Rio Capivari, no km 328,9, para abrigar o fluxo de veículos em via lateral e também a adequação da ponte pertencente ao traçado antigo (lado esquerdo).  

Como funciona a adequação – Para o alargamento e reforço da estrutura e a construção das muretas de proteção das pontes antigas, foi necessário que as novas estivessem totalmente concluídas. Todos os pilares de pontes adequadas passam por reforço, para receber a nova carga da rodovia. Com a fundação finalizada, os trabalhos passam a ser executados sobre a pista, que tem todo o pavimento retirado, recebendo nova camada de concreto e asfalto.

As proteções laterais antigas são retiradas, a pista é alargada, passando a ter 10,2 metros de largura, como em todos os trechos duplicados. Após são construídas as proteções de concreto laterais, conhecidas como guarda-rodas, instalada a sinalização vertical e horizontal e, enfim, liberado ao fluxo de veículos.

Colaboração: Muriel Albonico / Dnit/SC