InternetData CenterAssinante

Chatbot - Essa tecnologia está mais presente em sua vida do que imagina

Iremos ouvir falar muito ainda sobre os CHATBOTS. Ou iremos falar muito utilizando esta ferramenta
Chatbot - Essa tecnologia está mais presente em sua vida do que imagina
Foto: http://letzgro.net/wp-content/uploads/2016/07/chat-bot.jpg
Por Reginaldo José da Rosa Em 04/10/2016 às 18:45

Primeiramente segue uma definição do que é um chatbot ou chatterbot. “É um programa de computador que tenta simular um ser humano na conversação com as pessoas”.

Os chatbots também são chamados de bots, diminutivo de robots, ou seja, robô em inglês. Alguns chamados de web robots.

Mas a forma mais clara de descrever este termo seriam softwares de respostas automáticas. Estes softwares são programados para executar tarefas pré-definidas e assim conseguem gerenciar tarefas de forma automatizada baseada em cada input/inserção de dados. Estes inputs podem ser pela escrita, áudios (aplicados em URA de atendimento eletrônico em centrais telefônicas) ou por seleção de perguntas pré-definidas em sites ou mesmo em centrais telefônicas.

chat-bot

[Crédito imagem: Letzgro]

 

Então para que servem os Chatbots?

Seu objetivo é responder as perguntas de tal forma que as pessoas tenham a impressão de estar conversando com outra pessoa e não com um programa de computador.

Os chatbots são o uso desta ferramenta para criar conversas -chats-, gerenciando perguntas e respostas durante uma interação com pessoas reais. São utilizados em centrais de atendimento ao consumidor, onde muitas pessoas procuram ajuda e um percentual muito alto de perguntas e respostas são repetidas. Assim um assistente virtual bem programado pode realmente facilitar as coisas tanto para o consumidor quanto para a empresa. Assim as empresas conseguem atender uma demanda crescente de consultas sem ampliar seu quadro de funcionários, ou mesmo evitando revisão de contratos com as prestadoras de serviços de Call Center. Visto que a legislação que regula este setor tem obrigado as empresas a fornecer cada vez mais serviços de qualidade e com redução de tempo em filas de espera pelo atendimento, essa tecnologia tende a ser aplicada.

Já existem inúmeras ferramentas desta categoria disponíveis no mercado, algumas opções gratuitas que demandam algum tempo para configuração e aprendizado, e geralmente seu surgimento provém de trabalhos acadêmicos em conclusão de cursos de graduação ou pós-graduação. Mas algumas empresas já desenvolveram algumas soluções e vários planos são ofertados.

 

Chatbots são a revolução das interações ou apenas um facilitador?

Apesar de algumas pessoas venderem essa solução como uma grande revolução, aparentemente ela é apenas um facilitador. Quem trabalha interagindo diariamente com pessoas em redes sociais sabe que uma parte enorme das interações é repetitiva, ou seja, você responde boa parte das intenções da mesma forma. Para este caso, talvez os bots sejam muito úteis e consigam resolver muitos problemas. Muito se evoluiu com a aplicação de técnicas e algoritmos de inteligência artificial, fazendo com que a iteração se aproxime cada vez mais da interaçãoiteração humana. Mas em alguns casos há dificuldade na compreensão da linguagem natural e melhorias ainda necessitam serem implementadas, mas já se consegue ter serviços com boa aceitação.

 

Estudos recentes, destacam que a profissão de atendente de operador será extinta nos próximos 10 anos. Esta previsão foi apresentada no jornal da Globo (setembro-2016), juntamente com outras 10 profissões. Isso se deve a evolução tecnológica dos hardware e softwares que evoluem exponencialmente, aliado às pesquisas em inteligência artificial. Estas com incentivos no meio acadêmico e também no meio corporativos.

 

Alguns problemas ficaram bem conhecidos não faz muito tempo. O caso do chatbot TAY da Microsoft que foi programado para desenvolver seus conhecimentos a partir das interações que tem com outros usuários. Depois de algumas horas de seu lançamento, em conversas no Twitter, persuadido por internautas, não foi capaz de lidar com perguntas polêmicas e racistas, e acabou respondendo de forma ofensiva e xingando usuários. Após isso foi desativado.

 

Mas isso não desanimou as empresas que continuam investindo e pesado nesse segmento.

Na Microsoft, eles criaram um framework completo que deve facilitar a criação e adaptação destes robôs para o Skype, Slack e diversas outras plataformas (para mais informações dev.botframework.com/).

No ano passado o Facebook adquiriu a Wit.ai para endossar suas próprias capacidades de bots. A pouco tempo, foi disponibilizado um chatbot dentro do Messenger. Esta funcionalidade permitirá que consumidores interajam com um sistema de respostas automáticas. Em menos de um mês, nos Estados Unidos, foram mais de 5000 empresas que começaram a utilizar os chatbots para envio de confirmação e alertas de pedidos.

Outra gigante que tem investido neste segmento é Oracle que anunciou novas ferramentas para a construção de bots através de uma variedade de serviços de chat também.

Já o Google tenta agora competir com os serviços de desenvolvimento de chatbots do Facebook com a nova aquisição da API.ai (uma startup) uma companhia que ajuda desenvolvedores a construírem e a melhorarem interfaces de conversa para seus serviços. Suas ferramentas tornam mais fáceis para programas entenderem a linguagem humana e traduzi-las.

 

Com este time de pesos pesados disputando por este segmento é a confirmação que a automatização de conversas é uma realidade e irá evoluir com muita rapidez, e iremos ouvir falar muito ainda sobre os CHATBOTS. Ou iremos falar muito utilizando esta ferramenta.

 

Quem tiver o interesse de testar um serviço utilizando os chatbots, da Globalbot clique aqui.