InternetData CenterAssinante

Crônica do Didé: a boa fase continua, com direito a almoço de Marcão em campo

Crônica do Didé: a boa fase continua, com direito a almoço de Marcão em campo
Foto: Celso da Luz/CEC
Por Didé Fontana Em 23/08/2021 às 21:16

Sol, calor, 30 graus e a quebra de um jejum após um ano sem vencer fora de casa. Lá vinham eles de novo, os comandados do Paulo Baier, que não sabem fazer outra coisa em casa além de vencer, vencer e vencer.

Curados da ressaca
Rodadas atrás, a eliminação para o Fluminense na Copa do Brasil custou caro, pois o time sentiu o baque e entrou em uma ressaca daquelas perdendo para o Ituano logo em seguida, fora de casa.

A cura da ressaca começou vencendo o São José. Em seguida, o Ypiranga, fora de casa, a primeira após um ano. Com os triunfos, chegou a hora da consolidação, domingo de manhã, diante do Oeste.

Domingo de manhã
Futebol no dia e horário convidativo para torcer pelo seu time, acompanhado de uma cerveja e churrasco de domingo, representando o clima do torcedor Carvoeiro que, de suas casas, de bares e afins, acompanharam pela tv, celular, computador ou o velho radinho. Este foi o clima pré, durante e pós-jogo com mais uma vitória do Criciúma Esporte Clube.

Time acomodado
Jogando de uniforme todo branco, diante do rubro-negro do Oeste, o Criciúma entrou em campo acomodado, recuando e entrando pouco na área adversária. Deixou o Oeste jogar quase que dizendo “pode vir, que daremos um jeito”. A cada ataque adversário, uma defesa aqui e ali do goleiro Gustavo se jogando no chão a cada bola defendida.

Gol bizarro
A comodidade continuou e o placar só foi aberto de uma forma bizarra. Maranhão estava correndo na ponta direita, viu Claudinho e cruzou, errou do tipo “foi mal ai, Claudinho, agora eu acerto”. Tentou de novo e acertou o cruzamento. Claudinho estava lá, bem posicionado para marcar, mas Douglas, do Oeste, chegou antes, chutando para afastar a bola, mas... se atrapalhou todo e arrematou para o gol: 1 a 0, Criciúma.

Marcão com fome
O gol, mesmo que contra, deu mais confiança ao Tigre, e o 9 do time finalmente apareceu, e da melhor maneira: marcando gols. Marcão estava com fome e chamou o garçom para trazer seu prato, o gol.Dudu Figueiredo, garçom afim de gorjetas, enfiou a bola para o atacante, que escorregou e, "morto da fome", marcou o seu. O placar estava confortável e o Criciúma foi para o vestiário vencendo por 2 a 0; cabe mais no segundo tempo.

E a fome não parou. Desta vez Marcão, nem sequer esperou o garçom, aproveitando que o goleiro adversário estava adiantado, arriscou de fora da área “vai que numa dessas a bola entra?" Não deu outra: goleiro tocou na bola, mas mesmo assim, entrou e a vantagem aumentou para 3 a 0, Criciúma.
De volta a comodidade

O Criciúma se sentiu confortável e ficou leve e não buscou mais o quarto gol, deixando o Oeste, por vezes, tocar a bola, mesmo que longe da área Carvoeira.
 O relaxamento custou caro e o Oeste fez o seu com Luiz Ricardo, que em uma bola aérea, aproveitou a falha marcação do Criciúma e descontou.

A fase é boa
Com a vitória, o Criciúma passou, pelo menos, a tarde na liderança. O Ypiranga venceu e tomou o lugar do Tigre, que agora está em segundo colocado. Agora o próximo compromisso é diante de outro Tigre, o Grêmio Novorizontino, fora de casa, e o Paraná logo em seguida, em Curitiba. Faltam cinco jogos para, enfim, chegar a fase decisiva, valendo o retorno à Série B, enquanto isso, a briga é outra: manter a boa fase e se classificar a próxima etapa da competição.

@Didefontana é jornalista e colabora para o Tabelando e Engeplus