InternetData CenterAssinante

É hora de mudar o estatuto do Criciúma!

Reunião também foi importante para destacar o futuro do Tigre!
Por Emerson Crippa Em 28/07/2020 às 21:56

Fala, Crippa!

Torcedor tricolor, a segunda, dia 27, poderia ser mais uma daquelas normais na história do Criciúma E.C., uma vez que houve reunião ordinária do Conselho Deliberativo do Tigre, tendo como pauta a aprovação das contas da diretoria executiva, referente ao exercício/2019 e apreciação do balancete do primeiro e segundo trimestre/2020. Mas a pauta mais esperada foi a discussão sobre os encaminhamentos para a futura rescisão do contrato entre a GA e o Criciúma, onde poderia ser anunciado algo mais contundente relativo a qual modelo de gestão ou até mesmo o gestor que estaria encaminhado para administrar o clube no ano de 2021 em diante.

Contudo, não foi desta vez que o torcedor tricolor, e até mesmo os conselheiros, escutaram essa definição da mesa diretora. Apenas de novidade é que existem vários grupos de investidores estrangeiros interessados em fazer a parceria com o Criciúma, entre eles: Russos, Coreanos, Espanhóis, Árabes e Japoneses. Além deles, tem o grupo do ex-presidente Moacir Fernandes, que está trabalhando para apresentar uma proposta ao conselho, no qual, na minha humilde opinião, seria a mais adequada e de credibilidade confiável considerando o atual momento administrativo que o clube atravessa.

Dessa forma de gestão, no sistema presidencialista, o clube volta a ser nosso, volta a ser do torcedor, e, principalmente, comandado, certamente, por pessoas que não só visam os interesses do investidor, e sim do maior patrimônio do clube que é o torcedor. É sabido que para gerir um clube da grandeza do Criciúma precisa importantes garantias financeiras e jurídicas, mas, da mesma forma, precisa garantir o direito do torcedor em ter um clube mais simpático, mais aberto e menos burocratizado. Quem pegar o clube para administrar, receberá um clube sanado e estruturado, porém esfacelado no seu departamento de futebol.

Entendo que o desafio maior dos conselheiros deveria ser esse, alterar o tão falado estatuto, claro com as devidas premissas estabelecidas, premissas essas menos restritivas em concordância com investidores, patrocinadores e gestores locais.

Para finalizar, vale ressaltar, que apesar de ser inédita na história do conselho, além de ser uma ferramenta que servirá muito nos novos tempos que atravessamos,  a reunião Home Office, conduzida pela mesa diretora, foi muito proveitosa, e abre-se mais uma forma para agilizar e democratizar as decisões desse órgão tão importante para o clube que é o Conselho Deliberativo.

Vem conosco torcedor, pois a esperança de termos um clube e um time vencedor nunca nos abandonará, no que depender do apoio do Tabelando e de vocês que são a nossa maior riqueza.