InternetData CenterAssinante

Assaltantes que atropelaram e mataram pedestre em Criciúma são indiciados por roubo e homicídio

Um deles foi preso no dia do crime e o segundo envolvido identificado nas investigações
Assaltantes que atropelaram e mataram pedestre em Criciúma são indiciados por roubo e homicídio
Foto: Divulgação/Polícia Militar
Por Lucas Renan Domingos Em 18/01/2021 às 16:23

Dois homens, de 23 e 24 anos, foram apontados pela Polícia Civil de Criciúma como autores do homicídio de Márcio Martins da Silva, atropelado na avenida Centenário, no dia 22 de julho de 2020. Na noite do crime, os acusados roubaram um Fiat Siena, com placas de Criciúma, de um taxista em Içara e fugiram em direção a Criciúma. Na fuga, atingiram a vítima que estava caminhando. Silva chegou ainda a ser reanimado duas vezes no local do acidente pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu no hospital.

Tudo começou depois da dupla, sendo que um deles estava armado, agredir um taxista e roubar o veículo, fugindo em direção a BR-101. A Polícia Militar (PM) montou um cerco e localizou o automóvel já em Criciúma, no bairro Santo Antônio, e o motorista iniciou fuga em direção ao Centro. Próximo da Gelox (apenas referência) ele atropelou o pedestre. Mesmo ocasionando o acidente, o carro seguiu em alta velocidade e só foi abordado no bairro Próspera, próximo da Jugasa (apenas referência), onde um deles foi detido. 

O segundo suspeito conseguiu fugir com o auxilio de outro automóvel, carro que também foi localizado pela PM no bairo Jardim União horas depois. A Polícia Civil iniciou as investigações e o homem que havia fugido foi identificado. Ele se apresentou na delegacia e foi preso preventivamente. As diligências apontaram ainda que antes de roubar o Fiat Siena, os investigados já haviam cometido outro roubo anterior, em Criciúma.

Além do homicídio doloso do pedestre, a dupla agora vai responder pelos crimes de roubo. Ambos estão no Presídio Santa Augusta e aguardam julgamento. Prestaram apoios nas investigações, as divisões de homicídios e repressão de entorpecentes da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma e policiais da Delegacia de Polícia de Içara.