InternetData CenterAssinante

‘O mandado de prisão foi ilegal’, afirma advogado de servidor da Prefeitura de Criciúma preso

Servidor foi exonerado do cargo, mas deve retornar às atividades
‘O mandado de prisão foi ilegal’, afirma advogado de servidor da Prefeitura de Criciúma preso
Foto: Rafaela Custódio / Arquivo Engeplus
Por Rafaela Custódio Em 22/09/2020 às 08:46

Um servidor da Prefeitura de Criciúma foi preso pela Polícia Militar (PM) nessa segunda-feira, dia 21, após estar com um mandado de prisão ativo que foi emitido pela Justiça da Comarca de Urussanga. Entretanto, trata-se de um erro cometido pelo Judiciário, e o homem que foi encaminhado ao presídio, já está em liberdade. 

De acordo com o advogado da vítima, Frank Bez Fontana, o homem cometeu um crime de estelionato em 2016, e a pena foi convertida em serviço comunitário e também em dinheiro. “Erraram e mandaram um mandado de prisão e Polícia Militar fez o seu dever legal e meu cliente recebeu esse presente do Judiciário. Entramos em contato com o juiz da Comarca de Urussanga e ele assumiu o erro e pediu o alvará de soltura”, explicou em entrevista ao jornalista João Paulo Messer, da Rádio Eldorado. 

O homem atua na Prefeitura de Criciúma, porém acabou sendo exonerado. “Conversei com o procurador-geral do município e a Prefeitura estaria suspendendo a exoneração”, destacou. “Nós temos hoje às 9 horas uma reunião com o cliente para conversarmos. Queremos retratação e nós estamos pensando em entrar contra o judiciário por danos morais”, completou. 

O advogado revelou que seu cliente já teve diversas passagens pela Polícia Militar, porém garantiu que o homem já está ressocializado. “O mandado de prisão foi ilegal. Há muito tempo ele teve uma vida errada. Ele é um líder no bairro e quis mudar de vida. Esses processos são antigos e temos que pensar para frente”, finalizou.