InternetData CenterAssinante

Casa é destruída por incêndio e família organiza Vakinha para recomeçar

Incêndio foi registrado na madrugada deste domingo, no bairro Pedro Zanivan em Criciúma
Casa é destruída por incêndio e família organiza Vakinha para recomeçar
Foto: Carina Machado de Luca/Colaboração/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 05/07/2020 às 17:05

Um incêndio destruiu uma casa na madrugada deste domingo, dia 5, no bairro Pedro Zanivan em Criciúma. E a família das vítimas afetadas criaram uma Vakinha online para arrecadar fundos e contribuir com um recomeço.

Na casa moravam três pessoas - o casal Eliane Machado e Dalvo Benedet e a filha Emily Machado Benedet, 18 anos de idade. O incêndio teria iniciado em uma tomada e se alastrou rapidamente pela casa de madeira. Os bombeiros chegaram por volta das 3h30, mas já encontraram o local tomado pelas chamas.

Após quase três horas de ação e cerca de oito mil litros de água utilizados no combate e rescaldo, os bombeiros deixaram o lugar aos cuidados da família e da Polícia Militar (PM). A verdade, é que nada restou do que havia dentro da casa.

“Pegou fogo na casa inteira, não sobrou nada. Começou em uma tomada e foi questão de segundos. Ficaram sem nada. Estamos fazendo uma Vakinha online. Ela foi demitida a pouco tempo, a empresa demitiu alguns funcionários por conta do coronavírus, e o marido saiu a pouco tempo do hospital. Ele estava internado com problemas neurológicos e ambos estão desempregados”, conta a sobrinha do casal, Carina Machado de Luca.

A tentativa de recomeço do casal será em outro bairro da cidade. Portanto, utilizarão os recursos arrecadados para comprar um novo lar em detrimento de reconstruir a atual moradia. “Faz seis meses que eles perderam um filho (Natan Machado Benedet), que era especial. Estamos vendo para comprar em outro lugar com o mesmo valor que seria para reconstruir a casa. Ela lutou a vida inteira, é batalhadora, viveu pelo filho e faz só seis meses que ele faleceu. E depois de tudo isso ainda perder a casa”, lamenta Carina.

Até o momento a Vakinha já arrecadou R$ 1,6 mil. Todavia, a família conta com a solidariedade das pessoas para atingir um valor maior - a meta é chagar a R$ 100 mil. “Começou hoje pela manhã, ainda vai entrar alguns boletos. Já divulgamos nas redes sociais e grupos. Tudo o que vem é ajuda. Já conseguimos cama, talheres, as pessoas se solidarizam”, explica Carina.

Para contribuir com a Vakinha online, clique aqui.