InternetData CenterAssinante

Assaltantes do Banco do Brasil utilizaram arsenal de uso restrito das forças armadas

Munições de grosso calibre a fuzis foram usados para atirar contra 9º BPM
Assaltantes do Banco do Brasil utilizaram arsenal de uso restrito das forças armadas
Foto: Divulgação
Por Lucas Renan Domingos Em 01/12/2020 às 10:01

A quadrilha que assaltou a agência do Banco do Brasil não surpreendeu apenas pela organização durante a ação, mas também pelo forte armamento utilizado pelos criminosos. As armas e munições usadas pela organização criminosa são considerados arsenais de uso restrito das forças armadas.

“É um tipo de armamento não comum. São munições de calibre 556x45 milímetro e 762x51 milímetro, além de calibre .50. São munições de alto poder bélico, utilizado em guerra, munições supersônicas”, explicou o comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM), tenente-coronel Cristian Dimitri.

Os arsenais foram utilizados, inclusive, para efetuar disparos contra a sede do 9º BPM. “Furaram as paredes, as janelas. Vários disparos de grosso calibre”, durante o momento do assalto, a Polícia Militar (PM) não reagiu. Segundo Dimitri, a resposta é um protocolo.

“Eles realizaram ações simultâneas. Enquanto ocorria o ataque ao batalhão, houve disparos a esmo na região central da cidade, a fim de evitar a aproximação da polícia. Então temos um protocolo que respeitamos onde preferimos que salvar vidas. Não foi feito a interferência para que eles fizessem o assalto e fugissem e depois a gente buscasse informações por meio da inteligência.