InternetData CenterAssinante

Em Criciúma, dos 245 presos que tiveram direito à saída temporária, nove não voltaram para as celas

Dois deles já foram recapturados pela Polícia Militar
Em Criciúma, dos 245 presos que tiveram direito à saída temporária, nove não voltaram para as celas
Foto: Rafaela Custódio/Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 09/01/2020 às 14:41

Durante o período de festas de Natal e Ano Novo, 245 detentos que estão nas unidades prisionais de Criciúma – Penitenciária Sul, Penitenciária Feminina e Presídio Regional de Criciúma - tiveram direito à saída temporária. As liberações ocorreram em duas etapas. A primeira durou do dia 20 ao dia 26 de dezembro. Já a segunda data iniciou em 27 de dezembro e encerrou no último dia 2 de janeiro. Após o término do benefício, nove presos não retornaram para suas celas.

No Presídio Regional de Criciúma, no bairro Santa Augusta, oito detentos não voltaram para a unidade prisional após o fim da saída temporária. Dois deles já foram recapturados pela Polícia Militar (PM) e seis seguem foragidos. Na Penitenciária Feminina, 74 presas foram liberadas, apenas uma não retornou. Já na Penitenciária Sul, 15 tiveram o benefício e todos retornaram para o local.

Para a gerente das unidades prisionais da Regional Sul Catarinense, Maira de Aguiar Montegutti, apesar de nove presos não terem retornado naturalmente para suas celas, o número é visto como positivo.

“Foram 97% dos presos que retornaram de saída temporária nas três unidades de Criciúma. É um saldo positivo. Vem mostrar que o trabalho de ressocialização que vem sendo feito no sistema prisional está surtindo efeito. Oferecemos trabalho, estudo e conscientizamos que o crime não compensa. Essas pessoas vão para casa durante sete dias, retornam para cumprir suas penas e depois voltarão para a sociedade sem dever nada e poderão retomar a sua vida”, disse a gerente.

Ela reforça ainda que os outros 3% que não voltaram para as unidades prisionais seguem sendo procurados. “Nós cadastramos esse dado no Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) e todos os órgãos de segurança ficam sabendo que essa pessoa está foragida. Quem abordar o foragido na rua, vai ter essa informação e vai reconduzir ela para a sua respectiva unidade prisional”, destacou Maira.

A saída temporária está prevista na Lei de Execução Penal para presos do regime semiaberto que já tenham cumprido 1/6 da pena (se o condenado for réu primário) e apresente bom comportamento.

Em toda Santa Catarina, 2.501 detentos já retornaram às unidades

No Estado de Santa Catarina, o Departamento da Administração Prisional (Deap) informou que dos 2.588 internos que deixaram o sistema prisional com autorização judicial, por meio do benefício da saída temporária, 2.501 já retornaram às unidades. Isso representa uma evasão de 3.36%. Dos 135 evadidos 48 foram recapturados e 87 são considerados foragidos.

Na região Sul de Santa Catarina, além daqueles que não retornaram para as unidades de Criciúma, estão foragidos dois do Presídio Regional de Araranguá, um da Unidade Prisional Avançada (UPA) de Imbituba e um do Presídio Regional de Tubarão

Números de evasão por unidade no Estado:

ARARANGUÁ – 2 (Presídio)
BLUMENAU – 4 (Presídio)
BRUSQUE - 1 (UPA)
CAMPOS NOVOS - 1 (UPA)
CHAPECÓ - 13 (Penitenciária)
CRICIÚMA – 1 (Penitenciária Feminina)
CRICIÚMA – 6 (Presídio)
CURITIBANOS – 5 (Penitenciária)
FLORIANÓPOLIS – 4 (Penitenciaria)
IMBITUBA – 2 (UPA)
INDAIAL – 1 (UPA)
ITAJAÍ – 9 (Penitenciária/CPVI)
ITAJAÍ – 4 (Presídio/CPVI)
JARAGUÁ DO SUL – 2 (Presídio)
JOAÇABA – 1 (Presídio)
JOINVILLE – 4 (Penitenciária)
JOINVILLE – 2 (Presídio)
LAGES – 2 (Presídio)
PALHOÇA – 13 (Colônia Penal Agrícola)
PORTO UNIÃO – 3 (UPA)
RIO DO SUL – 2 (Presídio)
SÃO FRANCISCO DO SUL – 1 (UPA)
SÃO JOSÉ DO CEDRO – 1 (UPA)
TUBARÃO – 1 (Presídio)
XANXERÊ – 2 (Presídio)