InternetData CenterAssinante

Prefeitura monitora nível de rios em Criciúma

Lixo despejado em ruas e margens de rios dificulta o escoamento da água
Prefeitura monitora nível de rios em Criciúma
Foto: Jhulian Pereira
Por Redação Em 31/05/2019 às 15:10

A Administração Municipal, através do Gabinete de Crise acionado pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, segue acompanhando as condições do tempo e o nível de rios no município. Desde a última sexta-feira, dia 24, após o temporal que atingiu e provocou estragos em cidades da região Sul de Santa Catarina, a Defesa Civil de Criciúma realiza rondas, monitora locais pontuais e auxilia os moradores criciumenses. 

“O nível da água está baixando nos rios e deve baixar mais, pois a previsão do tempo indica chuva de intensidade fraca a moderada para Criciúma nas próximas horas”, destaca o coordenador da Defesa Civil de Criciúma, Dioni Borba. “Estamos realizando o trabalho de monitoramento desde a última semana, principalmente em áreas pontuais. Hoje, o local que merece uma atenção especial é o bairro Sangão, onde a água está escoando bem, mas já tem pontos de alagamentos em algumas vias”, complementa.

Para amenizar danos em bairros de Criciúma, a Administração Municipal, por meio da Secretaria de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, desobstruiu córregos, removeu entulhos de bocas de lobo e de caixas coletoras de água. “Também pedimos a ajuda dos moradores. Durante as rondas, a gente acaba se deparando com muito lixo jogado nas margens de rios e em terrenos. Isso dificulta o escoamento da água e pode prejudicar ainda mais os bairros. É preciso descartar os entulhos da forma correta”, afirma Salvaro.

Conforme dados do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram), da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), desde a última quarta-feira, dia 29, Criciúma acumulou volume de chuva de aproximadamente 50 milímetros. O tempo instável, com chuva isolada, deve continuar neste sábado, dia 1º e domingo, dia 2 na região carbonífera.

Colaboração: Jhulian Pereira