InternetData CenterAssinante

Polícia Militar de Criciúma é a que mais realiza visitas preventivas em escolas no Estado

Em 2018, os policiais realizaram mais de 1.700 visitas nas escolas de Criciúma
Polícia Militar de Criciúma é a que mais realiza visitas preventivas em escolas no Estado
Foto: Arquivo / Divulgação
Por Rafaela Custódio Em 13/03/2019 às 20:04

Na manhã desta quarta-feira, dia 13, um homem de 25 anos e um adolescente de 17 entraram em uma escola em Suzano (SP) e mataram oito pessoas. Em seguida, um dos assassinos atirou no comparsa e, então, se suicidou. A tragédia trouxe medo aos pais e responsáveis por alunos da região. 

A reportagem do Portal Engeplus conversou com a Polícia Militar (PM) de Criciúma e com a Secretária de Educação do município e também com pais de alunos que estudam na cidade. 

Segundo o Major Rafael Mateus, do 9º Batalhão de Polícia Militar, em Criciúma diversas ações são realizadas. “As ações desenvolvidas pela Polícia Militar (PM) nas escolas de Criciúma são realizadas em dois processos. A primeira é a prevenção e a segunda é repressão qualificada. Na prevenção, trabalhamos com o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) que está há 20 anos no município. Durante as instruções em relação às drogas, também existe o fato da convivência com os policiais e tem todo o trabalho desenvolvido com as crianças. Temos também as consultorias preventivas. No início no ano, os policiais visitam as escolas e trazem sugestões aos diretores”, explica. 

Mateus relata que atualmente existem 166 escolas envolvidas com as ações da PM e são mais de 50 mil alunos. “Em instituições privadas também realizamos as visitas. Em 2019, foram realizadas 44 consultorias preventivas. Nós também fizemos as rondas preventivas. Temos uma viatura específica para a ronda escolar”, comenta.  

A secretária municipal de Educação de Criciúma, Roseli de Lucca afirma que as escolas possuem regras em relação a visitas e comportamentos. “Nossas escolas possuem portões para ninguém entrar no pátio, por exemplo. Todas as pessoas precisam se identificar na secretaria. Temos um cuidado muito grande com isso”, relata Roseli.

A secretária explica que todos os diretores das escolas possuem cuidados redobrados para que pessoas estranhas  não entrem em salas de aula. “Em nossas creches possuímos horários específicos para os pais e responsáveis deixarem e buscarem seus filhos, além dos policiais que estão sempre vistoriando e realizando rondas”, relata. 

Em 2018, a Polícia Militar realizou em Santa Catarina 10.024 visitas preventivas nas escolas. Já em Criciúma, foram feitas 1.731 visitas, totalizando 17,26% do estado. “Existe uma preocupação muito grande do 9ª Batalhão com o ambiente escolar e por isso realizamos esses trabalhos. Também temos a Rede de Vizinho que ajuda”, afirma o Major. 

Preocupação com os filhos 

Andressa Bonazza tem uma filha de cinco anos e ficou assustada com o que viu em São Paulo. “A preocupação existe sempre. Após esse fato, fiquei imaginando minha filha e como era a escola dela. Ela está no ensino infantil e já fui buscar informações”, comenta. 

A mãe ainda lembra que a preocupação existe, mas a escola é importante. “Nas próximas semanas sempre vamos lembrar desse atentado, mesmo sendo distante de nós. Mas não podemos deixar de levá-la a escola. Sempre incentivando, falando o que é certo e errado, explicando sobre o que pode e não pode ser feito. Educação é fundamental para nossas crianças”, finaliza.