InternetData CenterAssinante

Polícia Civil investiga crimes na Apae de Lauro Müller

Operação Tweed cumpre sete mandados de busca e apreensão e dois afastamentos
Polícia Civil investiga crimes na Apae de Lauro Müller
Foto: Divulgação/Polícia Civil/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 10/12/2019 às 09:42

A Polícia Civil desencadeou na manhã desta terça-feira, dia 10, a Operação Tweed, que é parte de um inquérito que apura crimes praticados na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Lauro Müller. A operação, apoiada pelo Ministério Público (MP) e pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), cumpre sete mandados de busca e apreensão e dois afastamentos temporários contra funcionários da Apae. 

Entre os alvos de investigação, estão o presidente da Apae de Lauro Muller, duas servidoras da entidade e um diretor da Federações das Apaes de Santa Catarina. 

Segundo investigação da Delegacia de Polícia do município, há indícios da prática de crimes como injúria racial, coação do curso do processo, peculato, tráfico de medicação controlada, associação para o tráfico, inserção de dados falsos em sistema informatizado da administração pública e associação criminosa. 

De acordo com a Polícia Civil, também é apurada uma denúncia anônima contra o presidente da instituição, que “estaria agindo de forma a embaraçar as investigações, proibindo, inclusive, que os fatos fossem levados ao conhecimento do Ministério Público, bem como estaria perpetrando crimes de peculato na condição de presidente da Apae”, diz a Polícia Civil.