InternetData CenterAssinante

Grupo criminoso de SP é alvo de investigação da Polícia Civil; em Criciúma, mulher está foragida

Ação integrada com a polícia paranaense aconteceu em nove cidades catarinenses
Grupo criminoso de SP é alvo de investigação da Polícia Civil; em Criciúma, mulher está foragida
Foto: Divulgação Polícia Civil/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 12/09/2019 às 10:34

A Operação Remanescentes foi deflagrada na manhã desta quinta-feira, dia 12, em uma ação conjunta entre a Polícia Civil catarinense e a paranaense. A operação acontece para desarticular uma organização criminosa de São Paulo que tenta se estabelecer em Santa Catarina e deve cumprir um total de 17 mandados de prisão preventiva, sete de prisão temporária e 20 de busca e apreensão. 

As buscas estão concentradas em nove municípios: Florianópolis, Joinville, Camboriú, Navegantes, Lages, Criciúma, Tubarão, Praia Grande e Foz do Iguaçu (PR). Em Criciúma, há um mandado de prisão preventiva e de busca e apreensão contra uma mulher acusada de envolvimento com facções criminosas. A Divisão de Investigação Criminal (DIC) realizou buscas, mas obteve a informação que ela não mora mais no local e segue foragida da justiça. 

A operação 

Ao todo, 120 policiais civis participam da Operação Remanescentes. Eles são da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), e das delegacias da Grande Florianópolis, Joinville, Balneário Camboriú, Navegantes, Lages, Araranguá, Tubarão e Criciúma. A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil paranaense em Foz do Iguaçu também presta apoio. 

A Operação ocorre em razão de uma investigação da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco/Deic), coordenada pelo delegado Antônio Seixas Joca. As diligências apontam a participação de integrantes de organização criminosa oriunda do Estado de São Paulo e que tentam se estabelecer no Estado catarinense. 

Segundo informações da Polícia Civil, até o momento 313 integrantes desta organização já foram identificados e indiciados pela equipe da Draco/Deic. O processo tramita na Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis. 

Na atual investigação foram identificados mais 39 integrantes da organização criminosa, sendo que 24 devem ser presos ainda hoje e 15 serão objeto de compartilhamento de provas para outros procedimentos policiais. Em Florianópolis, as ações se concentram no Norte da Ilha de Santa Catarina. Na Papaquara houve apreensão de arma e munições. 

Leia mais sobre: