InternetData CenterAssinante

Desvio da merenda: nutricionista da Afasc é liberada por prisão acontecer de forma ilegal

Segunda envolvida recebeu liberdade provisória, porém precisará cumprir com obrigações
Desvio da merenda: nutricionista da Afasc é liberada por prisão acontecer de forma ilegal
Foto: Polícia Civil de Criciúma
Por Heitor Carvalho Em 23/10/2019 às 15:26

As duas mulheres que foram presas na última segunda-feira, dia 21, por conta do suposto caso de desvio de merenda da Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc), foram soltas após decisão assinada pelo juiz Fabiano Antunes da Silva, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Criciúma. Uma das envolvidas, que atua como nutricionista na Afasc, teve sua prisão relaxada - já que aconteceu de forma irregular, por não ser em flagrante e o mandado de prisão não era destinado a ela. A outra envolvida no caso recebeu o benefício da liberdade provisória e terá que realizar o cumprimento de algumas condições impostas pela justiça.

De acordo com a decisão do juiz, foi necessário proceder com o relaxamento da prisão da nutricionista uma vez que a prisão não aconteceu de forma flagrante e o mandado de prisão preventiva estar apenas em nome da outra envolvida. De qualquer forma, está destacado na decisão que: “não se desconhecendo, entretanto, eventual culpabilidade da indiciada, [ela] poderá ser instruída no decorrer do processo”.

Quanto às condições impostas para a suspeita que recebeu liberdade provisória, a mesma não pode sair de casa no período noturno ou em dias de folga, além de não poder se ausentar por mais de oito dias de suas residência sem comunicar à autoridade sobre o lugar onde será encontrada. Em caso de mudança de residência, se faz necessária uma prévia permissão da autoridade processante. 

Outro compromisso que deve ser cumprido, é o de comparecer mensalmente perante autoridade, bem como todas as vezes que for intimada. As investigações sobre o caso de receptação dentro da Afasc estão sob responsabilidade do delegado Túlio Falcão, da 1ª Delegacia de Polícia Civil.

SAIBA MAIS

Funcionária da Afasc que desviou merenda escolar responderá por peculato