InternetData CenterAssinante

Deflagrada a Operação Linha Cortada para reprimir atuação criminosa em presídios catarinenses

Objetivo é desmantelar a linha de comunicação de um grupo criminoso que atua no Estado
Deflagrada a Operação Linha Cortada para reprimir atuação criminosa em presídios catarinenses
Foto: Divulgação/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 20/09/2019 às 10:42

Uma grande operação coordenada pela Polícia Civil foi deflagrada na manhã desta sexta-feira, dia 20, para reprimir a atuação criminosa dentro e fora dos presídios catarinenses. A ação é da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic).  

Até às 8 horas, segundo informações oficiais da Polícia Civil, já haviam sido presas 10 pessoas, nove por mandado de prisão e uma presa em flagrante. A operação ocorre em seis cidades: Florianópolis, Joinville, Brusque, Camboriú, Biguaçu e Laguna. Ao todo, estão sendo cumpridos 19 mandados judiciais, sendo 10 de prisão temporária e nove de busca e apreensão.  

Ainda conforme a Polícia Civil, foram apreendidas cartas e anotações de uma facção criminosa catarinense, além de telefones celulares. Dos 10 mandados de prisão, oito são de pessoas que já estavam presas em Florianópolis, Joinville e Criciúma. Em Brusque, uma pessoa foi presa em flagrante por associação criminosa. Ao menos duas mulheres também foram detidas. 

"Até o momento cumprimos nove prisões temporárias, fizemos um auto de prisão em flagrante e um Termo Circunstanciado. Um farto material da organização criminosa investigada foi apreendido", disse o coordenador da operação, delegado da Draco/Deic Antônio Joca. 

Para o diretor da Deic, Luis Felipe Fuentes, a Operação Linha Cortada foi deflagrada para apurar a participação dos investigados no sistema de comunicação da organização criminosa. Segundo apurado, pessoas fora dos presídios, sobretudo familiares de presos, recebem e transmitem informações, recados e ordens vindas dos detentos e endereçada a outros presidiários.  

Além do cumprimento dos mandados de prisão, estão sendo cumpridas as ordens de busca e apreensão para localizar telefones celulares, computadores, documentos, cartas e drogas.