InternetData CenterAssinante

Corpo de Bombeiros realiza simulação de deslizamento de terra

Forças Tarefas participam de exercício durante esta noite, dia 17 e madrugada, dia 18
Corpo de Bombeiros realiza simulação de deslizamento de terra
Foto: Jessica Rosso
Por Jessica Rosso Em 17/06/2019 às 22:59

Cinco Forças Tarefas do Corpo de Bombeiros Militar de toda Santa Catarina participam de uma Operação na noite desta segunda-feira, dia 17. Trata-se na realidade de um exercício de Certificação simulando um deslizamento de terra que atingiu um microônibus com sete vítimas. Na missão designada,os bombeiros devem encontrar as vítimas, e para isso contam com a ajuda e o auxílio também de cães farejadores.O exercício acontece na sede da Associação do Corpo de Bombeiros de Criciúma entre hoje e amanhã, e deve durar no máximo cerca de cinco horas, de acordo com o capitão do Corpo de Bombeiros Militar Renan Silvério da Rosa Fernandes.

A Operação iniciou por volta das 21 horas. Participam da atividade, a Força Tarefa (FT05) de Lages , a FT10 de São José, a FT 12 de São Miguel do Oeste, a FT13 de Balneário Camboriú e a FT14 de Xanxerê. A missão será realizada juntamente com as equipes de Diretoria de Tecnologia da Informação e com a APC - Auto Posto de Comando- com um veículo equipado para esse tipo de evento, estruturado com tecnologia como drones. Atuam como observadores a Defesa Civil Estadual do Rio Grande do Sul e a Força de Resposta Rápida de Tramandaí. 

Também estão presentes durante a Operação o comandante geral do Corpo de Bombeiros Charles Alexandre Vieira, o subcomandante geral do Corpo de Bombeiros Ricardo Steil, o comandante da 1ª região coronel César de Assumpção Nunes e o comandante do 4º Batalhão de Bombeiros de Criciúma tenente coronel Gustavo Eustáquio de Macedo. 

O soldado Tonet, que é natural de São Miguel do Oeste, se tornou soldado há apenas sete anos. Sua primeira experiência nesse tipo de situação foi em Brumadinho. "Graças a Deus a gente treina, treina, treina, mas são raras as ocorrências que efetivamente trabalhamos, então essa de Brumadinho foi uma experiência única para a Força Tarefa do estado inteiro", afirma. Segundo Tonet, o treinamento chega muito próximo da realidade. "A gente se sentiu muito à vontade em Brumadinho, porque não era muito além do que a gente tinha de experiência tanto no curso de formação dessa oficina, mas também nessa certificações é muito parecido com a ocorrência real", relatou. 

Um dos pontos levantados pelo capitão Fernandes, é que as Forças Tarefas trabalham de forma autônoma, ou seja, são responsáveis por seus itens, como barracas, alimentação, entre outros itens essenciais e necessários para seus integrantes até o fim do treinamento. O soldado Tonet contou que se viu muito a situação contrária em Brumadinho. "Existiam muitos voluntários querendo ajudar, mas acabavam se tornando mais um problema para o Bombeiro de Minas Gerais, porque eles tinham que se preparar com logística, onde essas pessoas iam dormir, onde iriam tomar banho, o que elas iriam comer, água, então a Força Tarefa já chega pronta, com alimentação, água, energia elétrica, equipamentos, e assim a gente pode se acampar em qualquer área e autônoma durante sete dias", afirma.

Sobre a Força Tarefa

A Força Tarefa é uma equipe especializada. Cada batalhão responsável por uma região possui uma. Ela é composta por oito integrantes que irão atuar num caso de extrema necessidade como em casos de catástrofes, desastres naturais, casos que fogem da normalidade.