InternetData CenterAssinante

VÍDEO: Incêndio na Anjo Química, em Criciúma

Bombeiros atendem a ocorrência. Explosões foram ouvidas
VÍDEO: Incêndio na Anjo Química, em Criciúma
Foto: Vinicius Alexandre
Por Denis Luciano e Amanda Ludwig Em 14/02/2017 às 20:55

Atualizado à 0:25 do dia 15 / Um incêndio de grandes proporções atingiu a unidade industrial 2 da Anjo Química na noite desta terça-feira, no Distrito Industrial, em Criciúma. Algumas explosões foram ouvidas por populares. Em boletim liberado em seguida das 23h, o Corpo de Bombeiros confirmou que as chamas estavam controladas. 

"Eu estava jantando quando ouvi explosões. Pensei que era em uma casa mas, ao sair, percebi o fogo alto na Anjo. As explosões e as labaredas bem altas, de até oito metros", contou Diego Ronsoni, morador de uma rua nos arredores da empresa. "Sentimos um calor muito forte e subiu aquela fumaça tóxica. Não saímos daqui de casa pois não tinha vento para trazer a fumaça até aqui. É o primeiro incêndio nessa unidade da Anjo", completa.

O Corpo de Bombeiros atendeu a ocorrência a partir das 20h30min, com quatro caminhões e homens de Criciúma, Içara, Forquilhinha, Urussanga, Araranguá e Sombrio. As chamas foram controladas quase que totalmente em cerca de uma hora e meia de operação, e os cinco funcionários que estavam no prédio foram retirados, sem ferimentos.

Em uma análise preliminar, a Anjo verifica que todo o pavilhão atingido deve ter sido perdido. É o terceiro incêndio na empresa, o primeiro no Distrito Industrial. Os bombeiros estão no interior do prédio analisando as consequências do incêndio. Caminhões ABTR foram deslocados de Tubarão e Florianópolis para prestar apoio, além de cinco caminhonetes.

Uma grande preocupação é que o fogo alcance os tanques de combustível. À tarde, chegou à unidade uma remessa de óleo diesel. A população recebeu orientação para não ir até o local, devido ao risco ocasionado pelas chamas. Populares não puderam ficar a pelo menos 100 metros do local da ocorrência. Por orientação da Guarda Municipal, carros também estão sendo removidos, e o trânsito foi bloqueado na Rodovia Luiz Lazzarin. O coordenador da Defesa Civil municipal, Ricardo Machado, verificou a necessidade de ampliar a evacuação da região.