navegue nos blocos da capa

Segurança

Temporada

Especialista alerta para cuidados na hora de alugar imóveis

Profissional recomenda vistoria presencial e não apenas por fotos

04
DEZ
2017
| 20h10
20h10
Redação Engeplus
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Ignição Digital

Com a proximidade das férias, o mercado de aluguel de imóveis por temporada fica aquecido. A internet agiliza contatos e negócios com economia de tempo e de dinheiro, mas também abre portas para várias situações que podem levar o consumidor ao erro. Especialista em avaliação de imóveis alerta para as propagandas enganosas e indica o que considerar para uma transação segura.

Para o engenheiro civil e Diretor da Figueiredo & Associados, Flávio Figueiredo, que também é Conselheiro do Instituto Brasileiro de Avaliações de Perícias de Engenharia de São Paulo (IBAPE-SP), muitos problemas ocorrem quando a pessoa só vê o imóvel pela internet, sem visitá-lo pessoalmente. "As fotos que se vê na rede podem mascarar uma série de problemas. O ideal é conferir de perto ou pedir que alguma pessoa de confiança o faça, cercando-se de cuidados para ter certeza de que o que se está alugando corresponde às fotos", explica

Para a temporada de verão, alguns itens básicos devem ser verificados. Detalhes que nem sempre são observados, mas que fazem muita diferença. "É preciso saber se o imóvel tem as instalações que a pessoa considera imprescindíveis, além de abastecimento de água e segurança", pondera Flávio.

Outro ponto importante é a localização. Áreas aparentemente tranquilas podem reservar surpresas em determinadas épocas do ano. "É preciso verificar se, por exemplo, uma boate não será aberta perto da casa ou prédio. Mesmo que seja a uma certa distância, um bar ou danceteria pode causar engarrafamentos e barulho, gerando transtornos", alerta.

Figueiredo ressalta, ainda, que buscar informações com vizinhos e comerciantes das proximidades é sempre uma boa opção. "Também é fundamental que o contrato reflita exatamente a transação realizada, incluindo objetos que estejam no imóvel e qualquer discrepância deve ser comunicada imediatamente", finaliza o especialista.

Colaboração:Samyra - Assessoria de Comunicação

 

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Motoboys realizam homenagem a motociclista que morreu em acidente“Mãos unidas” em horário especial de NatalEscola Sem Partido é aprovada em meio a protesto Lançamento da 10ª Vindima Goethe é nesta terça-feiraIncêndio destrói casa de 90 m²Criciúma unida pela magia do Natal