InternetData CenterAssinante

Polícia desvenda caso de mulher encontrada morta em Araranguá

Morte trata-se de um assassinato por queima de arquivo
 Polícia desvenda caso de mulher encontrada morta em Araranguá
Foto: Divulgação
Por Cyntia Amorim Em 24/11/2014 às 19:01

A morte de Sandra Maria da Silva, que teve seu corpo encontrado na manhã desse sábado, dia 22, em Araranguá, foi desvendada pela Polícia Civil de Araranguá na tarde desta segunda-feira. A morte trata-se de um assassinato por queima de arquivo e pode ter relação direta com os mesmos criminosos que mataram Jair João Sironi. Na tarde de hoje a polícia fez a reconstituição do crime com o suposto autor da morte.

Entenda como a polícia desvendou o crime – Os agentes da Polícia Civil, na última semana, haviam recebido informações de que indivíduos suspeitos da morte do comerciante Jair, no município de Forquilhinha, estariam morando em Araranguá. Com a morte de Sandra a polícia acredita na possibilidade de haver uma conexão entre a morte desta e a execução do comerciante.

Por volta de 19 horas desse domingo, os agentes, sob o comando dos Delegados Jorge Giraldi e Jair Pereira Duarte, deslocaram-se até o bairro Campo Verde e localizaram, numa residência alugada há cerca de 10 dias, um casal de adolescentes e um homem de 20 anos.

Na casa destes a polícia apreendeu um revólver de calibre 38 e nove cartuchos, maconha, crack, dinheiro, celulares e um bilhete escrito a mão com o nome Sandra, roupas e um celular, que foram reconhecidos pela irmã da vítima como sendo pertences de Sandra. Na Delegacia, quando interrogado, o adolescente de 16 anos confessou o assassinato de Sandra. No depoimento sobre o motivo ele alegou que ela “falava demais”.

O adolescente contou ainda que na última sexta-feira veio até Araranguá e se encontrou com Sandra no bairro Campo Verde e lá ficaram na casa até às 21 horas, usando drogas. Após isso saíram numa motocicleta, sendo que o adolescente já tinha intenção de executá-la, levando consigo o revólver na cintura.

Na estrada de terra onde encontraram a vítima, o adolescente parou a motocicleta, dizendo que iria urinar. Neste momento, pegou o revólver, pediu para Sandra retirar o capacete e a segurou pelos cabelos, colocando-a de joelhos, efetuando cinco disparos contra o pescoço da mulher. Em seguida retornou para casa de motocicleta.

Para a polícia ele afirma não estar arrependido de tê-la executado. O adolescente foi autuado em ato infracional pela prática de homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo. A adolescente, pelo crime de receptação, sendo que esta foi liberada em seguida, enquanto que o adolescente continua apreendido até ser encaminhado a um Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep).

O homem maior de idade também foi autuado e encontra-se detido com pedido de prisão preventiva. Pela forma como ocorreram os homicídios em Forquilhinha e Araranguá, acredita-se em uma conexão entre ambos os fatos. O revólver apreendido será encaminhado para exame de Balística.