InternetData CenterAssinante

Criciúma aguarda notificação do Estado para saber quantas vacinas Oxford/AstraZeneca irá receber

Caso critérios de distribuição do Estado sejam mantidos, cidade pode receber 1,5 mil doses
Criciúma aguarda notificação do Estado para saber quantas vacinas Oxford/AstraZeneca irá receber
Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom
Por Lucas Renan Domingos Em 24/01/2021 às 17:23

O Governo de Santa Catarina recebeu na manhã deste domingo, dia 24, um lote com 47,5 mil doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, compradas pelo Governo Federal do laboratório Sérum, da Índia, que tem parceria com a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz). No Estado, a distribuição aos municípios está marcada para começar nesta segunda-feira, dia 25. A Secretaria de Saúde de Criciúma ainda não foi notificada de quantas unidades serão encaminhadas para a cidade.

A tendência, conforme informou o secretário de Saúde de Criciúma, Acélio Casagrande, é de que a distribuição pelo Governo de Santa Catarina siga os mesmos critérios adotados quando foram entregues as vacinas da Coronavac, na última terça-feira, dia 19. “Hoje à noite (domingo) ou amanhã (segunda-feira), eu acredito que o Governo do Estado defina quantas doses irão para cada município. Caso siga os mesmos critérios da última distribuição, a tendência é que a gente receba 1500 vacinas nesta nova entrega”, afirmou Casagrande.

Assim como a Coronavac, o vacina Oxford/AstraZeneca do lote importado pelo Governo Federal exige que cada paciente receba duas doses para ser considerado imunizado. Dessa forma, se confirmado um lote de 1,5 mil doses para Criciúma, a quantidade seria suficiente para vacinar mais 750 pessoas.

“Devemos continuar dando prioridade para a vacinação de profissionais de saúde da linha de frente do combate ao coronavírus. Seria importante também se viessem doses para iniciar a vacinação dos idosos”, disse o secretário de Saúde de Criciúma. Conforme a Vigilância em Saúde da cidade, a expectativa é de que o lote que deve ser encaminhado para Criciúma já venha com vacinas o suficiente para aplicar as duas doses nos vacinados. O intervalo entre a primeira e a segunda vacina é de 12 semanas.