InternetData CenterAssinante

Combate contra hepatites virais é lembrado nesta quarta-feira

Combate contra hepatites virais é lembrado nesta quarta-feira
Foto: Divulgação
Por Redação Em 27/07/2021 às 20:26

Por se tratar de um dos problemas de saúde pública mais crônicos no planeta, a hepatite, e o combate à sua disseminação, são lembrados no Dia Mundial de Luta Contra Hepatites Virais, 28 de julho, esta quarta-feira.

Como se trata de uma infecção geralmente silenciosa, a hepatite torna-se grave, uma vez que o paciente, quando começa a sentir os sintomas, encontra-se, de forma geral, em estágio avançado da enfermidade. Estes sintomas podem variar, manifestando através de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômito, dores abdominais, pele e olhos amarelados, dentre outros.

Como se vê, tais sintomas são comuns a diversas outras doenças, o que atrapalha o correto diagnóstico. É importante, nesta data, que o cidadão saiba que a hepatite se divide em cinco tipos, todos virais, a saber: A, B, C, D e E. No Brasil, são mais frequentes os tipos A, B e C, com o tipo D sendo mais encontrado na região Norte, e o tipo E, menos comum no país, é mais difundido na África e na Ásia.

Dentre estas variações, as mais problemáticas são as causadas pelos vírus tipo B e C, que normalmente se tornam enfermidades crônicas, inclusive. O Sistema Único de Saúde (SUS) fornece testes gratuitos à população para estes dois tipos. O SUS, inclusive, recomenda que toda pessoa realize pelo menos uma vez na vida este teste. Outra ferramenta utilizada pelo sistema público nacional é a vacina contra o tipo B, que não possui cura, mas cujo imunizante está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) que possuem sala de vacina. Por sua vez, a tipo C não possui vacina, mas existem medicamentos que possibilitam sua cura, o que não ocorre com a tipo B.

Tubarão

Em Tubarão, os números da hepatite apontam que, no período compreendido entre 2010 e 2021, houve o registro de 588 casos confirmados. Se ampliarmos a região para os 18 municípios que compõem a Amurel, o número sobe para 1.506, divididos entre 937 homens e 569 mulheres, no mesmo período. Se permanecermos levando em conta este intervalo de tempo, mas avaliarmos os casos por faixa etária, a maior incidência está entre pessoas com idades de 50 a 59 anos, seguida pela faixa dos 40 aos 49 anos, 30 a 39 anos, e 60 a 69 anos de idade, nesta ordem.

A maior parte das infecções pelos vírus das formas de hepatite é contraída por meio do uso de drogas com compartilhamento de material, e pelas relações sexuais sem proteção, respectivamente. Além disso, grande parte dos infectados não sabem dizer como contrariu a doença.

Como se vê, a doença é grave, e por ser uma patologia cujos sintomas não são sentidos cedo, é importante que você aproveite o Dia Mundial de Luta Contra Hepatites Virais para, quem sabe, procurar uma UBS e realizar o teste pelo SUS.

Colaboração: Assessoria de Imprensa - Rodrigo Speck

Leia mais sobre: