InternetData CenterAssinante

Número de queimadas aumenta na região Sul; inalação da fumaça afeta saúde pública

Bombeiros estão atendendo cerca de oito chamadas deste tipo, por dia, em Criciúma e região
Por Jessica Rosso Em 01/04/2020 às 16:35

Nas últimas semanas aumentou o número de ocorrências atendidas pelo 4º Batalhão de Bombeiros Militar, referente à queimadas. São vários os casos de limpezas de terrenos na região Sul em que o uso do fogo de forma descontrolada causa incêndios se alastrando pela mata. Os bombeiros estão atendendo cerca de oito chamadas deste tipo, por dia, em Criciúma e região. Mas, como essas queimadas podem atingir a saúde das pessoas?

O sargento Laércio fez um apelo no último fim de semana para a população dizendo que as pessoas precisam se conscientizar. "Nossa central de atendimento às vezes acaba congestionando de tantas chamadas de incêndio em vegetação", diz o sargento. A Redação do Portal Engeplus fez vários registros de incêndios durante esse período de aumento das ocorrências. 

O médico Christian Dal Pont explica que em termos gerais esta exposição pode afetar uma pessoa de forma mais direta ou menos direta. O fator proximidade influi muito, diz. Mas, no geral, o médico afirma que a fumaça proveniente de queimadas pode tanto agravar doenças respiratórias como asma, bronquite, rinite e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), como também pode provocar essas doenças em indivíduos sadios. O médico explica ainda que isso pode acontecer por conta das " partículas presentes na fumaça", que ao serem inaladas, afetam o sistema respiratório. A inalação desses compostos químicos podem desencadear um processo inflamatório sistêmico, e em alguns casos, causar a morte, afirma.