InternetData CenterAssinante

Criciúma acende alerta contra o coronavírus, após confirmação do primeiro caso no Brasil

Material com informações preventivas já está sendo distribuído nas Unidades de Saúde
Criciúma acende alerta contra o coronavírus, após confirmação do primeiro caso no Brasil
Foto: Arquivo Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 26/02/2020 às 15:42

A confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil deixou um alerta para ações de prevenção de riscos e uma série de procedimentos a serem adotados no país. Em Criciúma, a Secretaria de Saúde já distribui um material informativo nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e garante seguir todos os protocolos técnicos do Ministério da Saúde e da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive).

Com a proliferação do vírus na Itália, onde as autoridades notificaram nove óbitos na última sexta-feira, dia 21, a Secretaria de Saúde de Criciúma recomenda que pessoas que estiveram no país nos últimos 15 dias procurem uma UBS para receber orientações e também se tranquilizar quanto ao risco de infecção. A mesma recomendação vale para quem passou por outras regiões de riscos. 

O secretário da pasta, Acélio Casagrande, diz que o momento é de alerta, mas não de pânico. Ele explica que até agora não há indício de circulação do vírus na região e os métodos preventivos são os mesmos para casos de H1N1. 

“Estamos sempre em alerta e prontos para fazer qualquer tipo de ação e intervenção com a nossa população. Não temos nenhuma razão de pânico, mas de alerta sim. A partir do momento da confirmação aumenta um pouco a preocupação. Se circularam nestes lugares (de risco) nos últimos 15 dias, podem se apresentar na Unidade de Saúde para conversar, receber orientação e se tranquilizar”, esclarece.

Vírus em pauta

Ainda conforme o secretário, o coronavírus vem sendo tratado no município desde fevereiro em reuniões com infectologistas, profissionais da saúde e comerciantes da área farmacêutica. 

O mesmo material compartilhado nas UBSs será propagado em farmácias da cidade. “É uma série de documentos impressos. A orientação neste momento é trabalhar a prevenção e os cuidados como se o vírus estivesse circulando, assim evita outros tipos de vírus, como H1N1, que tem a mesma etiqueta de prevenção para o corona”, explica.

Coronavírus no Brasil

Até esta quarta-feira, dia 26, 20 casos suspeitos de infecção pelo coronavírus são monitorados pelo Ministério da Saúde em sete Estados do país: Paraíba (1), Pernambuco (1), Espiríto Santo (1), Minas Gerais (2), Rio de Janeiro (2), Santa Catarina (2) e São Paulo (11). Outros 59 casos suspeitos já haviam sido descartados após exames laboratoriais apresentarem resultados negativos para o coronavírus. 

Leia mais

Ministério da Saúde confirma primeiro caso de coronavírus no Brasil

HSJ realiza reunião e alerta sobre a importância do controle de infecções

Criciumense que mora na Itália relata situação em relação ao coronavírus

Hoje, o Brasil registrou o primeiro caso de coronavírus, em São Paulo. O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, explicou que dos 20 casos suspeitos, 12 foram para a Itália, dois para Alemanha e dois para Tailândia. 

“Esse padrão já reflete a velocidade que o Sistema de Saúde, incluindo unidades públicas e privadas, tiveram para se adaptar às novas definições de casos suspeitos nesses dois dias, durante o Carnaval. Nosso sistema de saúde está em alerta total”, afirmou Wanderson. 

De acordo com o Ministério da Saúde, no mundo, já foram registrados mais de 80,2 mil casos do coronavírus em 34 países. Foram 2,7 mil mortes causadas pela doença, sendo que os casos mais graves são aqueles que afetam pessoas com mais de 60 anos.