InternetData CenterAssinante

Pacientes com suspeita de AVC tem atendimento exclusivo no Hospital São José

Médicos e colaboradores são treinados para prestar atendimento específico e imediato
Pacientes com suspeita de AVC tem atendimento exclusivo no Hospital São José
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 16/09/2019 às 13:34

Desde março deste ano, médicos emergencistas, neurologistas, neurocirurgiões e colaboradores do setor de urgência e emergência, bem como unidade de internação neurológica do Hospital São José, estão continuamente participando de treinamentos e aperfeiçoamento para aprimorar o atendimento as pessoas vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Atendimento diferenciado quando os pacientes chegam na unidade

A partir de agora os pacientes que chegam ao serviço de Pronto Atendimento do hospital com suspeita de AVC, passam por um processo diferenciado com um protocolo de atendimento imediato para realizar todas as práticas necessárias no paciente.

“Quando algum paciente chega ao serviço de urgência e emergência do Hospital São José, se faz uma avaliação logo na recepção. O recepcionista treinado, detecta os sinais e sintomas de AVC. A avaliação consiste em observar quatro sintomas básicos que são questionados ao paciente assim que ele se apresenta à recepção. Caso se enquadre nestes sintomas,o mesmo terá prioridade máxima no atendimento”, esclarece a médica neurologista Gisele de Medeiros.

Após a avaliação prévia, o paciente é levado a sala de emergência para que o médico também faça sua avaliação e para que solicite os exames necessários.Neste momento o neurologista também é comunicado. Tudo é feito em um mínimo espaço de tempo.

O neurologista avalia o paciente, analisa os exames, os critérios de exclusão para o tratamento de trombólise; caso haja indicação para a trombólise, o especialista prescreve o medicamento e a equipe de enfermagem administra o medicamento. “Neste momento o paciente já possui dois acessos venosos calibrosos, sinais vitais checados e monitorados”, explica a neurologista.

Na sala de emergência o paciente realiza prioritariamente, exames de sangue como hemograma, plaquetas e exames de coagulação de sangue, além da tomografia computadorizada de crânio.

Atendimento aos pacientes na emergência, respeitando o protocolo de AVC

Assim que o paciente chega à emergência, mesmo que haja a menor possibilidade de que possa ser um AVC, ele é imediatamente encaminhado ao enfermeiro da triagem que ao confirmar a suspeita de AVC, prontamente leva o paciente à sala de emergência, onde ele é prioritariamente atendido pelo médico. Se o paciente apresentar sinais ou sintomas de AVC, as medidas são tomadas para minimizar ou até tentar reverter os sintomas de um paciente que possa estar apresentando um quadro de AVC agudo/hiper agudo.

Para prestar este tipo de atendimento emergencial, todos os profissionais que atuam no setor, precisam estar atentos e prontos para qualquer intercorrência. Conhecer os sintomas e saber passo a passo do que precisa ser feito pelo paciente.

No Hospital São José a preocupação foi de treinar e proporcionar conhecimento a todos do serviço de emergência sejam eles recepcionistas, controladores de acesso, enfermeiros, técnicos de enfermagem, colaboradores do serviço de diagnóstico por imagem (tomografia), laboratório de análises clínicas, médicos emergencistas, neurologistas e neurocirurgiões, todos foram treinados para colocar em prática o protocolo de AVC. O processo funciona de forma imediata e em conjunto com todos os setores quando o protocolo de AVC é acionado. Esta comunicação funciona de forma paralela e unificada com todos os setores do hospital que possam atender a intercorrência: enfermagem, neurologia, radiologia, neurocirurgia, farmácia, unidade neurointensiva, todos são acionados e ficam de prontidão à espera deste paciente.

Segundo a especialista, a prática de manter os colaboradores em constante linha de aperfeiçoamento, utilizando o protocolo, visa diminuir ao máximo o tempo de atendimento do paciente com suspeita de AVC. O objetivo de melhorar a assertividade no diagnóstico e iniciar o mais precoce possível o tratamento mais adequado para pacientes com AVC, é de extrema importância, para diminuir e/ou reverter os sintomas; havendo também a possibilidade de minimizar a incapacidade do paciente, na tentativa de devolver sua autonomia e melhor qualidade de vida.

Informações importantes

Segundo dados no Ministério da Saúde o AVC ocupa o ranking das doenças que mais causam óbitos no Brasil, perdendo apenas para doenças cardiovasculares. O problema é a primeira causa de incapacidade funcional em todo mundo. O AVC continua sendo a doença neurológica que as pessoas mais se preocupam.

Vale ressaltar sempre, que a prevenção é sempre de extrema importância.

O AVC acontece, pois houve em algum momento, uma alteração na circulação cerebral do paciente. Existem dois tipos de AV, hemorrágico e isquêmico. No caso do AVC hemorrágico, há uma ruptura de um vaso ocasionando o sangramento dentro do cérebro. Já o AVC isquêmico, acontece uma obstrução de um vaso de sangue; o que leva a diminuição da circulação em determinada região.

É de suma importância ficar atento aos fatores de risco: hipertensão, diabetes, colesterol elevado e consumo de fumo.

Colaboração: Katia Farias / HSJosé