InternetData CenterAssinante

Mutirão oncológico do HNSC zera a fila de pessoas com suspeita e diagnóstico de câncer na região

Pacientes cadastrados no Sistema Nacional de Regulação foram atendidos no mês de agosto
Mutirão oncológico do HNSC zera a fila de pessoas com suspeita e diagnóstico de câncer na região
Foto: Comunicação HNSC
Por Redação Engeplus Em 30/09/2019 às 17:33

Depois de um mês trabalhando em mutirão às sextas-feiras e aos sábados, o setor de Oncologia do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), de Tubarão (SC), faz um balanço positivo dos atendimentos realizados em agosto. Foi alcançado o objetivo, que era de zerar a fila de pessoas com suspeita ou diagnósticos de câncer nas 18 cidades da Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel). Dos 114 pacientes atendidos pelo Hospital nesse período, 51 apresentaram diagnóstico de tumores e foram encaminhados para os procedimentos adequados. Desses, 37 tiveram recomendação para cirurgias, 12 para quimioterapia e dois para radioterapia. Houve, ainda, pessoas sem um diagnóstico preciso, cujos casos foram encaminhados para exames e biópsias. Somente 12 pacientes não compareceram na consulta agendada.

O tipo de câncer com maior número de casos detectados no Mutirão Oncológico foi o de cabeça e pescoço, com 21 diagnósticos, seguido pelo câncer de mama, com 15 casos, e de bexiga, com oito. Os demais diagnósticos foram de câncer de rim, fígado, estômago, próstata, ovário e pele, entre outros. “Os pacientes que não apresentaram indícios de tumores malignos ou que já tinham diagnóstico de patologias benignas foram reencaminhados aos serviços de saúde municipais para atendimento nas especialidades adequadas”, explica a responsável técnica pela Oncologia no HNSC, Aline de Souza Rosa. Um balanço completo da iniciativa será entregue à Comissão Intergestores Regional (CIR) da Região de Saúde de Laguna.

O Hospital Nossa Senhora da Conceição está credenciado pelo Ministério da Saúde como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia para cirurgias e consultas clínicas, e atende grande parte da região Sul de Santa Catarina nessa especialidade, com abrangência para mais de 365 mil habitantes. Além disso, conta com profissionais qualificados e infraestrutura necessária para oferecer o tratamento do câncer.

Pacientes participam de ritual para marcar fim de fases do tratamento

Como centro de referência no diagnóstico e tratamento do câncer, além da busca constante de recursos para garantir a modernização do parque tecnológico da Oncologia, o Hospital vem aperfeiçoando, a cada dia, o atendimento humanizado, desenvolvendo um forte trabalho de motivação de seus pacientes. Uma dessas iniciativas, que começou neste mês de setembro, foi a implantação de um sino no setor de oncologia, para que os pacientes possam comemorar a conclusão do tratamento. Chamado de “sino da superação”, o ritual tem uma importância simbólica para renovar as forças e mostrar a evolução da saúde de quem encerra mais uma etapa.

A primeira paciente a participar do projeto foi Camila Alves Pereira, de 36 anos. Em tratamento no Hospital há oito meses, foi diagnosticada com câncer no intestino em janeiro de 2019, quando realizou cirurgia de urgência, e iniciou a quimioterapia em março. Agora, com um grande sorriso em meio a lágrimas de emoção, Camila deu vários toques no sino ao lado de sua mãe, que a apoiou durante todo o processo, e sob aplausos da equipe técnica da Unidade.

Segundo o diretor técnico do HNSC, Chafic Esper Kallas Filho, a prática de tocar um sino após etapas do tratamento do câncer é comum em hospitais norte-americanos e beneficia não somente quem passa pelo enfrentamento da doença, mas também envolve sua família, os pacientes que estão iniciando o processo no mesmo hospital e os profissionais da instituição a se engajarem no projeto. “Isso cria uma motivação para os pacientes que iniciarão a batalha contra a doença e desmistifica a associação do câncer com o final de vida”, afirma.

Colaboração: A4 & Holofote Comunicação