InternetData CenterAssinante

HNSC capacita profissionais para realizarem cirurgias robóticas em pacientes tubaronenses

Primeiro procedimento com robô-cirurgião em Santa Catarina foi realizado no mês de junho
HNSC capacita profissionais para realizarem cirurgias robóticas em pacientes tubaronenses
Foto: Divulgação
Por Redação Em 07/09/2019 às 10:10

Considerada o futuro da medicina, a cirurgia robótica permite a realização de procedimentos com movimentos precisos e segurança que antes eram inalcançáveis. Isso porque as pinças robóticas, ou seja, os “braços” do equipamento, têm uma precisão que as mãos humanas não conseguem atingir, e podem realizar movimentos assertivos até mesmo em cavidades com restrição de espaço, como a pelve, o tórax e a parede abdominal, ou para suturas complexas. E essa modernidade já é uma realidade em Santa Catarina. O primeiro procedimento do tipo no estado ocorreu em junho deste ano, no Hospital Santa Isabel (HSI), de Blumenau. Isso representa um grande avanço para a medicina local, pois a tecnologia robótica está presente em poucos centros de referência hospitalar pelo país, a sua maioria em capitais e grandes metrópoles.

O HSI e o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), de Tubarão, são mantidos pela mesma entidade filantrópica, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC). Por isso, o HNSC também integra o Programa de Cirurgia Robótica da Instituição e, atualmente, está capacitando seu corpo clínico para operar a nova tecnologia. Ao longo do último mês, o oncologista Cassiano Coral Accordi e o urologista Arthur Radaelli Nicoleit têm realizado treinamentos no hospital parceiro. Para se tornar um cirurgião habilitado para procedimentos com o robô, o médico precisa passar por treinamento teórico, avaliação por escrito e, ainda, atingir metas mundialmente pré-estabelecidas em simuladores. Depois, os profissionais poderão realizar uma prova prática nos centros mundiais de treinamento da empresa criadora do robô, a Intuitive, que ficam em Atlanta e Houston, nos Estados Unidos, e em Bogotá, na Colômbia, para finalmente poderem operar seus próprios pacientes. Por enquanto, os cirurgiões podem encaminhar os atendimentos para o HSI e acompanhar a realização dos procedimentos.

Na especialidade do Dr. Cassiano, a oncologia, a cirurgia robótica traz melhor acesso cirúrgico onde a laparoscopia tem dificuldade, como tumores localizados na transição do esôfago para o estômago, lesões de reto baixo ou cirurgias de pâncreas e fígado. “Já somos um dos hospitais pioneiros em tratamentos minimamente invasivos do câncer. Agora, o cirurgião-robô veio para facilitar o tempo cirúrgico, de internação e recuperação dos pacientes com menos dor, garantindo mais precisão”, afirma o médico. Já para oDr. Arthur, é na urologia que o sistema robótico demonstra alguns dos melhores resultados, tanto para neoplasia de próstata como na cirurgia para retirada de tumores renais. “A operação se torna mais rápida e precisa, com tempos menores de isquemia renal, o que está associado à melhor preservação da função renal no pós-operatório”, explica o urologista.

De acordo com o diretor técnico do HNSC, Dr. Chafic Kallas Filho, com estes cirurgiões capacitados, os demais médicos da casa também poderão indicar seus pacientes, quando recomendado, para a realização da cirurgia robótica, modernizando e criando novas práticas para procedimentos de alta complexidade em Tubarão. “Quando aliadas, a tecnologia do robô e a expertise da equipe proporcionam uma cirurgia com mais precisão, menos agressiva e com melhores condições de recuperação para o paciente”, afirma o diretor.

Como funciona e quem se beneficia da cirurgia robótica

Todas as cirurgias por via laparoscópica podem ser feitas com o robô-cirurgião, e as especialidades mais beneficiadas por essa técnica são: urologia, cirurgia geral e digestiva, ginecologia, cirurgia torácica, cirurgia de cabeça e pescoço, além de procedimentos complexos de hérnias de parede abdominal e outros. O paciente operado por via robótica leva ainda mais vantagem quando as cirurgias são complexas, já que o sistema permite a realização do procedimento por técnicas minimamente invasivas.

Apesar de moderno, o robô não substitui a presença do médico, que comanda a cirurgia por meio de controles com rotação em 360 graus. O equipamento utilizado no Hospital Santa Isabel, do modelo Da Vinci Si, possui quatro braços, sendo que um fica com uma câmera e os outros três realizam a operação, comandado pelo cirurgião. O médico especializado tem a possibilidade de realizar a cirurgia com uma imagem 3D, que pode ser ampliada em até 15 vezes. Devem permanecer presentes na sala um cirurgião auxiliar, que fica ao lado do paciente para eventual intercorrência, um instrumentador cirúrgico e um anestesista.

 

Sobre Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC)

Fundado na cidade de Tubarão em 1904 pelas Irmãs da Divina Providência, o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) é o maior hospital de Santa Catarina em número de leitos, totalizando 395, e oferece mais de 40 especialidades. A instituição é referência como hospital geral para o Sul de Santa Catarina, atendendo toda a região da Amurel (Associação dos Municípios da Região de Laguna) e, em algumas especialidades, as regiões da Amrec (Associação dos Municípios da Região Carbonífera) e Amesc (Associação dos Municípios do Extremo Sul de Santa Catarina). Desde 2015 é administrado pela Associação Congregação de Santa Catarina, entidade filantrópica que atua em todo o Brasil. O HNSC conta com um moderno centro de diagnóstico por imagem e procedimentos de alta complexidade, além de ser integrante da Rede Nacional de Pesquisa Clínica, sendo também um hospital de ensino. De 2001 até o momento mantém o título de “Hospital Amigo da Criança”, do Ministério da Saúde, e disponibiliza o Disque-Amamentação, serviço gratuito de informações sobre amamentação para toda a comunidade da região.

 

Sobre a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC)

Com mais de 120 anos de atuação no Brasil, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) é responsável pela administração de 22 entidades em três segmentos de atuação: Educação, Saúde e Assistência Social. A ACSC criou um modelo de gestão autossustentável onde todo superávit gerado por nossos negócios é aplicado integralmente em nossas obras, nos três segmentos, a fim de executar dignamente suas atividades e acolher e cuidar do ser humano em todo o ciclo da vida. Ao todo, são cerca de 14 mil colaboradores distribuídos em diversas instituições de saúde, mantendo inúmeros estabelecimentos de ensino e acolhendo crianças, adultos e idosos em espaços assistenciais, com atendimento humanizado e serviços de qualidade para milhares de pessoas em seis estados brasileiros (Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo). Atualmente, na área de educação, as instituições da ACSC oferecem ensino de qualidade a 4.934 alunos, com 1.005 deles contemplados com bolsas integrais assistenciais. As entidades de saúde realizam anualmente 111 mil internações, 558 mil atendimentos de urgência e emergência, 2 milhões e 40 mil atendimentos ambulatoriais, 4 milhões e 913 mil exames, sendo 73,7% dos atendimentos destinados aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Colaboração: Rafael Teixeira 

Leia mais sobre: