InternetData CenterAssinante

Entenda o impasse que gerou a greve no Hospital São Marcos

Instituto Civitas - que é responsável pelo hospital - se pronunciou nesta tarde
Entenda o impasse que gerou a greve no Hospital São Marcos
Foto: Arquivo
Por Jessica Rosso Em 07/03/2019 às 16:45

Desde a manhã desta quinta-feira, dia 7, os funcionários do Hospital São Marcos de Nova Veneza estão em greve. Desde então, todos os envolvidos já se pronunciaram sobre o assunto. Nesta tarde, o Instituto Civitas - que é responsável pelo hospital - informou já ter notificado a prefeitura e o Governo do Estado pela falta de repasse dos recursos. 

O diretor administrativo do Hospital São Marcos André Ulrich, disse que até o presente momento não entrou nenhum pagamento da prefeitura na conta. "No mês de fevereiro prestamos o serviço e o município não cumpriu o convênio de R$130 mil. Também informamos o sindicato que o município não repassou e não iríamos conseguir pagar a folha de pagamento hoje", afirmou.

Antes disso, ainda pela manhã, o prefeito Rogério Frigo destacou que os pagamentos ao instituto são ralizados sempre de forma adiantada. “O pagamento referente ao mês de fevereiro ainda não foi realizado pois não houve o prazo de dias úteis. Mas nos meses anteriores, o pagamento aconteceu de forma adiantada, sempre”, frisa. “Vamos mostrar os pagamentos dos meses anteriores e comprovar. Não temos dificuldades e nenhum problema financeiro no município”, acrescenta.

O cirurgião geral Mateus Dário Volpato, disse que existem duas formas de pagamento para os médicos do hospital. "O pronto-socorro recebe da prefeitura e os demais médicos recebem conforme o repasso do Estado". Segundo ele, o Governo do Estado já repassou boa parte dos valores, entretanto a empresa que administra o hospital ainda não fez os pagamentos.

"Tem muitos atrasos. Os dois oftalmologistas estão sem receber desde agosto do ano passado. Eles realizaram o mutirão de cataratas e não receberam por isso ainda". No total, ele afirma, que a dívida está em aproximadamente R$ 600 mil no que diz respeito aos funcionários na parte cirúrgica e de internação. "A empresa não repassou , já entrou na conta mas não foi repassado. A parte da cirurgia, o que podemos fazer é não operar mais, já o pronto-socorro não sei dizer com precisão se tem atraso", disse.

Sobre o repasse do Governo do Estado, o diretor administrativo do Hospital São Marcos André Ulrich, disse que há valores para receber do estado desde novembro de 2018. " Notificamos o Estado em janeiro e até agora nem resposta, nem pagamento", ressaltou.

O hospital conta com 50 funcionários e o quadro de trabalhadores que continua realizando os serviços aos pacientes é de 50%, informou o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde de Criciúma e região (Sindisaúde), Cleber Ricardo da Silva Cândido. 

Leia mais: 

Funcionários do Hospital São Marcos entram em greve

“Não deixamos de fazer o repasse ao instituto, sempre fizemos adiantado”, afirma Frigo