InternetData CenterAssinante

Das dez internações, apenas duas são suspeitas de meningite

Casos de óbitos em Criciúma ainda estão sendo investigados
Das dez internações, apenas duas são suspeitas de meningite
Foto: Rafaela Custódio
Por Rafaela Custódio Em 25/09/2019 às 09:34

Duas crianças, de sete meses e de 1 ano e cinco meses, morreram no início desta semana no Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC), em Criciúma. A principal suspeita é que elas tenham sido vítimas de meningite, porém o quadro está em processo de investigação. Os dois meninos que faleceram estavam matriculados no Centro de Educação Infantil (CEI) AFASC Beato Aníbal Maria di França, do bairro São Francisco. 

Na manhã desta quarta-feira, dia 25, o prefeito de Criciúma Clésio Salvaro reuniu secretários e especialistas da saúde para tratar do caso e relatou que dez crianças foram internadas no HMISC com suspeitas de meningite, mas seis já foram liberadas e duas seguem em observação na unidade hospitalar. 

“Não queremos causar pânico na sociedade. Entendemos o desespero dos familiares, pois temos a preocupação com o sofrimento dessas duas famílias. Os CEIs de Criciúma foram fechados para a higienização dos ambientes e as aulas retornam nesta sexta-feira, dia 27. Temos 46 pontos de vacinação e 63% da população recebeu a vacina contra a meningite”, explica.  Ainda de acordo com Salvaro, as duas crianças que morreram estavam com a carteirinha de vacinação atualizadas. “Estamos esperando os resultados dos exames que levam até 10 dias, existem suspeitas”, pontua. 

Vacinas disponíveis 

Com as duas mortes, a população entrou em alerta, mas o secretário de saúde de Criciúma, Acélio Casagrande lembrou que a vacina está disponível nos postos de saúde dos bairros. “São vacinas que estão sempre nas unidades, não apenas em campanhas. A primeira dose é recebida com três meses geralmente, porém existem reforços. Caso a carteirinha de saúde não esteja atualizada é necessário ir ao posto e verificar a situação”, comenta. 

Segundo a gerente da vigilância sanitária de Criciúma, Andréia Bertoncini Pereira, equipes do município estão nas escolas e creches realizando a fiscalização dos ambientes. “Ano passado já fizemos isso. Temos que redobrar os cuidados neste momento. Mas, estamos realizando a fiscalização e buscando deixar tudo adequado para sexta-feira quando as crianças retornam às aulas”, relata. 

A coordenadora do controle de infecção do HMISC, Camila Borges comenta que a unidade hospitalar tomou os devidos cuidados com as crianças e os lugares em que elas estiveram na instituição. “Desde que a suspeita foi relatada todas as dez crianças estiveram em locais isolados e não tiveram contatos com outras crianças dentro do hospital. Os ambientes foram devidamente higienizados e temos cuidados com isso”, afirma. 

O diretor técnico da secretaria de saúde de Criciúma, Ronald Benedet Barroso relatou que pessoas próximas ou que tiveram contato com as crianças com suspeita foram medicadas. “Mesmo não confirmando os casos de meningite, todas foram vacinadas para que nós tivéssemos prevenção e isso é importante”, finaliza. 

Sintomas da meningite

A meningite é um processo inflamatório das meninges e apresenta sintomas como: febre, dor de cabeça, rigidez ou dor no pescoço, náuseas e vômitos. Manchas vermelhas ou roxas, pequenas ou grandes, na pele, podem indicar doença mais grave (meningococcemia). Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina, mudanças de comportamento como confusão, sonolência e dificuldade para acordar podem, também, ser sintomas importantes. Em recém-nascidos e lactentes, os únicos sinais e sintomas de meningite podem ser febre, irritação, cansaço e falta de apetite.

Leia Mais 

Órgãos de saúde investigam mais uma morte no HMISC; suspeita é de novo caso de meningite

Bebê de 7 meses morre após caso de meningite

Leia mais sobre: