navegue nos blocos da capa

Saúde

Em Criciúma

Familiares descobrem a tempo que adolescente participava do Baleia Azul

Jovem já passa por acompanhamento psicológico

21
ABR
2017
| 11h15
11h15
Amanda Garcia Ludwig
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições

Familiares de uma adolescente de Criciúma descobriram a tempo que a menina participava do desafio da Baleia Azul. Segundo o tio da jovem, que preferiu não se identificar para não a expor, uma colega de sua turma percebeu que ela estava com algumas escoriações e levou o caso para a direção da escola.

"Imediatamente fizeram o acolhimento dela na coordenação acompanhada da psicóloga e chamaram a mãe, que disse ter sido muito bem atendida pelas profissionais do colégio. A princípio ela negou que estivesse participando dessa brincadeira. Também não apresentou nenhum sinal de depressão ou coisa parecida", explicou o tio.

Para a psiquiatra, no entanto, a adolescente de 13 anos confessou estar participando da "brincadeira", mas disse que não sabia o quão grave são suas consequências. "Agora ela está bem, assistida por psicólogos e psiquiatra e claro, conta com o apoio da família", afirma o tio.

O jogo Baleia Azul tem preocupado profissionais da saúde e pais de adolescentes por propor desafios que colocam em risco a vida dos participantes. A adolescente desta reportagem estuda em um colégio particular de Criciúma, e seu tio lembra que o desafio não é caso específico para determinadas classes sociais. "Hoje em dia qualquer adolescente tem acesso às redes sociais [onde geralmente os participantes são abordados]”, diz.

Nesta quinta-feira, o governo de Santa Catarina emitiu alertas aos profissionais de saúde e professores em relação a procedimentos a serem adotados em casos de suspeita ou confirmação de automutilação e/ou de tentativa de suicídio, especialmente entre crianças, adolescentes e jovens.

O Centro de Valorização à Vida (CVV) é uma entidade de caráter internacional que opera em Criciúma desde 2004. O CVV trabalha a prevenção ao suicídio e a assistência através do diálogo. Caso precise de ajuda, entre em contato:

Telefones: 3439 0222 ou 141

Presencial: De segunda-feira a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas, na Avenida Coronel Pedro Benedet, 46, sala 321.

Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Festival de hambúrgueres e cervejas especiais reúne mais de 20 mil pessoasMais de 700 participantes prestigiam a Corrida do BemSaída de pista seguida de capotamento é registrada na SC-441Araranguá recebe instalação do Centro Regional de Defesa CivilBatalha Fitness reúne 400 atletas no Nações ShoppingEquipe sub-15 de basquete masculino faz história com terceiro lugar