navegue nos blocos da capa

Saúde

Morro da Fumaça

Falta de repasse do Estado deixa indisponível a vacina tetra viral

Os débitos do Estado com o Município chegam a quase R$ 343 mil na área da saúde

13
NOV
2017
| 18h50
18h50
Jessica Rosso
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Divulgação

A vacina tetra viral está indisponível na rede pública de saúde em Morro da Fumaça por falta de repasse da Secretaria de Saúde do Governo do Estado. A vacina é feita em crianças de 15 meses de idade e previne contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Os pais que procuram as unidades de saúde para vacinar os seus filhos estão sendo orientados pela equipe da Vigilância Epidemiológica a proteger as crianças com uma vacina semelhante.

“Apesar da falta da vacina tetra viral, as crianças podem ser imunizadas com a vacina da tríplice viral e depois com uma dose contra varicela, que está disponível a partir desta segunda-feira, dia 13, nas unidades de saúde que tenham sala de vacina”, conta a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Morro da Fumaça, Juliana Cardoso.

Na Secretaria de Saúde do Estado a informação é de que a falta da vacina se deve a um problema de desabastecimento e distribuição do Ministério da Saúde, que se reflete em Santa Catarina. O programa nacional de imunização é realizado pelo Ministério da Saúde, que fornece as doses e estabelece o calendário de vacinação. As vacinas são distribuídas para a Secretaria Estadual de Saúde que faz o repasse aos municípios.

Débitos do Estado chegam a quase R$ 343 mil na saúde

A falta de repasse dos recursos da Secretaria do Estado da Saúde para Morro da Fumaça também tem gerado transtornos para a comunidade. Conforme os cálculos levantados pela Secretaria Municipal de Saúde, a dívida do Estado com o Município chega a quase R$ 343 mil na área da saúde.

São seis meses de atraso nos repasses da Assistência Farmacêutica, Cofinanciamento do Núcleo de Assistência de Saúde da Família (Nasf) e Atenção Básica. E o mais impressionante está no atraso do repasse do Estado para o incentivo à média e alta complexidade ambulatorial, conforme Lei 1659, que chega há 33 meses nas parcelas que totalizam mais de R$ 162 mil. O valor corresponde a 47,2% da dívida total com a saúde de Morro da Fumaça.

“Nós reconhecemos as dificuldades que os órgãos de saúde enfrentam no Brasil, mas é preciso priorizar os investimentos nos municípios. É nos municípios que os moradores recorrem quando precisam de ajuda, e é aqui que deve ficar a maior quantidade de recursos para podermos atender melhor a população”, salienta o secretário de Saúde de Morro da Fumaça, Robson Francisconi.

 

Colaboração: Filipe Casagrande/ Assessoria de Imprensa - Prefeitura de Morro da Fumaça

Leia mais sobre: saude, morro da fumaça, vacina
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Studio Voga promove a magia com Espetáculo Velha InfânciaA excelência dos vinhos da serra catarinense e da gastronomia à mesaNovos serviços ou até venda no futuro do ComplexoO alto risco de não ter TV no Catarinense 2018Tarde de orientação e prevenção aos agricultoresAlça do Anel Viário com asfalto só em 2018