InternetData CenterAssinante

Policiais civis realizam protesto contra Reforma da Previdência em Florianópolis

Ato aconteceu nessa terça-feira, dia 20; objetivo é chamar atenção de Carlos Moisés
Policiais civis realizam protesto contra Reforma da Previdência em Florianópolis
Foto: Divulgação
Por Rafaela Custódio Em 21/07/2021 às 08:37

Uma manifestação contrária ao texto da Reforma da Previdência que o Governo de Santa Catarina encaminhou à Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) foi realizada por policiais civis, agentes socioeducativos, servidores da polícia penal e do Instituto Geral de Perícias (IGP) nessa terça-feira, dia 20, em Florianópolis. 

De acordo com o delegado de Polícia, Jair Pereira Duarte, a classe é a favor da reforma, porém é necessário mudanças no projeto encaminhado à Alesc. "Teremos um enfraquecimento na parte investigativa da Polícia Civil e um prejuízo para os agentes penitenciários. O projeto que o governador [Carlos moisés] encaminhou, diz que nós teremos que trabalhar até os 65 anos. A expectativa de um agente penitenciário é de 45 anos, sendo que em 2021, foram 15 mortos e não por Covid-19", destacou em entrevista ao jornalista João Paulo Messer, da Rádio Eldorado.  

Audiência pública debate proposta de Reforma da Previdência

O delegado ainda enfatizou que "o governador separou a segurança pública de uma forma muito diferenciada. Não tirou nenhum direito da Polícia Militar e está tirando muito das outras e isso vai afetar diretamente a população", observou. "Nós vamos trabalhar dentro da legalidade e atender a população. Vamos reduzir o excesso de trabalho até o governador nos chamar para uma conversa", completou. Confira abaixo a entrevista completa


Leia também 

Policiais civis protestam contra a Reforma da Previdência em Santa Catarina

Policiais civis e servidores do IGP prometem uma hora de paralisação nesta segunda-feira

'Estamos em estado de alerta', afirma presidente da Agepol sobre Reforma da Previdência em SC