InternetData CenterAssinante

Estado contabiliza danos em 233 municípios e mais de R$ 541 milhões em prejuízos

Dados preliminares apontam que agricultura contabilizou perdas na ordem de R$ 304,6 mi
Estado contabiliza danos em 233 municípios e mais de R$ 541 milhões em prejuízos
Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom
Por Redação Engeplus Em 08/07/2020 às 13:08

A Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC) segue contabilizando os danos provocados pelo ciclone bomba que atingiu o território catarinense na última semana. Dos 233 municípios atingidos, 207 já relataram prejuízos no Sistema de Informação de Desastres (S2ID). As cifras até o momento ultrapassam R$ 541 milhões. 

Dados preliminares apontam que agricultura contabilizou perdas na ordem de R$ 304,6 milhões. O setor elétrico não finalizou o levantamento total e a estimativa é que deve ser o mais atingido com danos que podem ultrapassar R$ 2 bilhões. Em relação os prejuízos em residências os prejuízos somam até o momento R$ 40,1 milhões.

No total já foram encaminhados 110.194 itens de assistência humanitária (IAH) para os municípios atingidos. Dentre o suporte realizado está a distribuição de 83.959 telhas. Apenas Garuva, um dos municípios mais atingidos, recebeu 22.840 telhas de fibrocimento e 2.855 cumeeiras.

Os atendimentos seguem em ritmo acelerado. Na noite de terça-feira, dia 7, em menos de 24 horas após a chegada da solicitação, foi entregue no município de Governador Celso Ramos 2.043 telhas, 1.606 cumeeiras, pregos e parafusos para telhas.

“O trabalho de apoio às pessoas atingidas por eventos climáticos inicia com a ação efetiva das prefeituras, por meio das secretarias municipais e da defesa civil municipal”, comentou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Júnior

Ele explica que em eventos como o ciclone, quando ocorrem muitos destelhamentos, em um primeiro momento deve ser realizado o socorro de possíveis vítimas e em seguida a entrega de lonas para cobrir as residências. “Após garantir a segurança das pessoas o principal foco deve ser o levantamento de informações das famílias atingidas”, ressaltou. 

Com base nas informações repassadas pelos municípios, a DCSC pode realizar o envio de itens de ajuda humanitária de forma acelerada. “Um exemplo de eficiência de resposta foi o município de Garuva que realizou as ações necessárias e que em menos de 24 horas após o evento começou a receber os carregamentos de telhas”, comentou João Batista.

Colaboração: Secom

Leia mais sobre: