InternetData CenterAssinante

Santa Catarina gera 49,8 mil empregos formais no primeiro semestre

Trata-se ainda do terceiro melhor saldo do país no semestre
Santa Catarina gera 49,8 mil empregos formais no primeiro semestre
Foto: Mauricio Vieira/ Secom
Por Redação Engeplus Em 27/07/2019 às 16:28

O primeiro semestre de 2019 fechou com resultado positivo para Santa Catarina em geração de empregos. De janeiro a junho, o Estado criou 49,8 mil postos de trabalho formais, o melhor resultado do Sul do Brasil para o período. Trata-se ainda do terceiro melhor saldo do país no semestre, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais, os dois Estados mais populosos. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foram divulgados na manhã desta quinta-feira, 25, pelo Ministério da Economia. O resultado é 48% maior do que no mesmo período de 2018, quando foram abertas 33,5 mil vagas de emprego.

“Comemoramos o crescimento do número de empregos gerados em Santa Catarina. Isso evidencia a retomada do crescimento da nossa economia, e é uma excelente notícia para todos que vivem aqui. O governo é parceiro e tem apoiado quem investe e empreende em Santa Catarina, desburocratizando, digitalizando os serviços, e trabalhando por uma política de incentivos mais justa para todos. Além disso, oferecemos programas de apoio, pesquisa e fomento, entre tantas outras ações. Estamos fazendo com que nosso Estado exerça sua vocação natural, que é a de liderar o processo de retomada do desenvolvimento”, afirma o governador Carlos Moisés,

Na divisão por setores, a indústria liderou a geração de empregos no semestre, com 29,3 mil vagas criadas. Logo em seguida aparece o setor de serviços, com 15,4 mil. Completam o quadro a construção (5,9 mil) e a administração pública (5,4 mil). Em relação apenas ao mês de junho, foram criadas 940 vagas em Santa Catarina, com destaque para o setor de serviços. Foi o melhor resultado para o mês desde 2013.

Segundo o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, o número representa um impulso na formalização do trabalho, o que gera impacto positivo em toda a economia. Mais trabalhadores no mercado formal significam mais tributos recolhidos e melhores serviços para o cidadão. Eli ressaltou ainda o trabalho realizado pela Fazenda com uma nova política industrial para Santa Catarina: “Esses resultados já são reflexos dessa nova política industrial que estamos construindo, de forma transparente e aberta, com as entidades e setores de Santa Catarina. Além disso, a segurança jurídica que nosso Estado faz com que as empresas continuem investindo aqui, gerando assim mais empregos e renda”. 

Na opinião do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, os dados do Caged demonstram a realidade econômica diferenciada de Santa Catarina, que possui também a menor taxa de desemprego do país. “O país está entrando em uma retomada econômica, e Santa Catarina lidera esse processo. Nosso povo tem um espírito empreendedor e isso se reflete também na geração de empregos, como foi possível ver neste primeiro semestre. O resultado do primeiro semestre é o melhor dos últimos anos e isso só deve se intensificar daqui para frente”, finaliza Esmeraldino.

Leia mais sobre: