Religião

Vinde e Vede

“A juventude tem uma força que precisa ser bem aproveitada”, diz Irmã Clara

Religiosa acredita que os jovens podem construir uma sociedade melhor

13
FEV
2018
| 08h13
08h13
Redação Engeplus
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
RCC Criciúma

Dos seus 83 anos vividos, a Irmã Clara Venturini, da congregação das Irmãs Beneditinas da Divina Providência, dedicou quase 70 em sua vida religiosa. Natural de Criciúma, ela aceitou o chamado de Deus aos 14 anos, quando conheceu o padre Agenor Neves Marques, em Siderópolis, que lhe ajudou a discernir a vocação.

Presente pela segunda vez no Vinde e Vede, a religiosa conta que para seguir o chamado de Deus precisou, na fé, superar obstáculos. “No começo foi muito difícil, minha mãe até aceitava, mas meu pai não queria. Ele levou dois anos para aceitar”.

Em uma família de 10 irmãs, duas delas seguiram o chamado para a vida religiosa. Além da Irmã Clara Venturini, a Irmã Ana Luiza, falecida em 2015, sentiu a vocação no coração e seguiu a vontade de Deus. “Assim que meu pai aceitou que eu fosse, a Irmã Ana também disse que queria servir”, lembra.

Durante os quase 70 anos de vida religiosa, Irmã Clara visitou países de todo o mundo como missionária. Por 12 anos, ela coordenou uma comunidade na Itália e participou da abertura do processo de canonização de Maria e Giustina Schiapparoli fundadoras das Irmãs Beneditinas da Divina Providência, em 1845, em Voghera, comunidade norte-italiana.

 

Recado para juventude  

Feliz com sua segunda participação no retiro, Irmã Clara acredita que os jovens possam construir uma sociedade melhor. “A juventude tem uma força que precisa ser bem aproveitada”, destaca.

A idade em que sentiu o chamado é a mesma em que muitos jovens participam do retiro, por isso a religiosa também lembra da importância das pessoas terem discernimento da sua vocação e não ter medo de aceitá-la. “Seja qual for a vocação, o jovem deve ter a certeza do chamado e aceitar sem medo, porque é Deus que quer isso para ele”, frisa.  

A congregação das Irmãs Beneditinas da Divina Providência está no Vinde e Vede mostrando como é o trabalho realizado por elas e também convidando jovens que sentem no coração o chamado para vida religiosa ou que ainda tem dúvidas no discernimento de sua vocação.

Outras congregações como as Irmãs Adoradoras da Misericórdia, Pequena Obra da Divina Providência, de Siderópolis, e Fraternidade o Caminho Religioso, de Laguna também estão no retiro com o mesmo proprósito.

 

Irmãs Beneditinas da Divina Providência

Fundada em 1845 na Itália, as Irmãs Beneditinas da Divina Providência chegaram ao Brasil no dia 28 de fevereiro de 1936, no município de Nova Veneza, movidas pelo ideal: “Levar o carisma das fundadoras, Maria e Giustina Schiapparoli, para o além do mar.

Vieram a pedido do Padre Miguel Giacca, para assistir os doentes, no Hospital São Marcos, instruir a juventude nas escola e atuar na pastoral da Paróquia São Marcos.

Hoje as irmãs estão presentes em 14 países: Itália, Brasil, Paraguai, Guiné Bissau, Bolívia, Albânia, Romênia, México, Índia, Kenya, Argentina, Malawi, Moçambique e Tanzânia.  

 

Colaboração:Fabrício Júnior / Ministério de Comunicação Social – RCC Criciúma

 

 

 

 

 

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Aniversariantes neste dia 24/02Finais do 48º Banana Bowl ocorrem neste sábadoCriciumense conta em livro como foi viagem ao AlaskaSindicatos de contabilistas de todo o Estado se reúnem em Nova VenezaMortes por afogamento nas praias de SC caem pela metadeAbertura oficial e escolha das soberanas acontece nesta sexta-feira