InternetData CenterAssinante

Geovania de Sá trabalha por hospital psiquiátrico para a Região Sul

Ela esteve no Ministério da Saúde com o técnico Mauro Pioli Rehbein
Geovania de Sá trabalha por hospital psiquiátrico para a Região Sul
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 22/05/2019 às 09:47

A deputada federal Geovania de Sá (PSDB) esteve, nessa terça-feira, dia 21, no Ministério da Saúde. A pauta do encontro com o técnico Mauro Pioli Rehbein foi o credenciamento da ala psiquiátrica do Hospital de Caridade São Roque, de Morro da Fumaça. A demanda chegou a parlamentar na última sexta-feira, quando visitou a instituição. 

De acordo com o diretor do hospital, José Luiz Pereira, a instituição acolheu 26 pacientes psiquiátricos da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e de parte de Tubarão, apesar de ter um caráter geral. Ele lamenta que a região não possua um hospital psiquiátrico e que, via SUS, o São Roque recebe R$ 51 por paciente, a diária. “Por isso, o credenciamento é tão importante. A partir dele, o valor pode chegar a R$ 300 e o serviço prestado passa a ser ainda mais adequado”, justifica a deputada.

Destes 26 pacientes internados em Morro da Fumaça, 16 são de Criciúma. A coordenadora de Saúde Mental do Município, Ana Losso, relata que estes internos estavam abrigados, até 2017, na Casa de Saúde do Rio Maina e que devem ser realocados em duas unidades de Serviços Residenciais Terapêuticos, já que cada uma comporta até 10 pacientes. 

“Inclusive, abriremos edital, ainda nesta semana, para o gerenciamento destas SRTs”, conta Ana, lembrando que também deverá haver uma terceira unidade para receber o restante da demanda regional. “Mas é imprescindível que haja um hospital devidamente habilitado para atender estes casos na região”, destaca a coordenadora de Saúde Mental de Criciúma.

“E se o Hospital de Caridade São Roque está disposto a abrir suas portas a estes pacientes, vamos trabalhar para isso”, reitera Geovania de Sá, dizendo que vai cobrar celeridade por parte do Ministério da Saúde. “Os pacientes e suas famílias merecem este cuidado”, finaliza a deputada.