InternetData CenterAssinante

Conheça a história de um homem que está à frente de diversos projetos sociais em Criciúma

Pastor e militar, ele foi convidado para contar um pouco de sua experiência
Conheça a história de um homem que está à frente de diversos projetos sociais em Criciúma
Foto: Divulgação
Por Jessica Rosso Em 06/12/2020 às 20:00

"Hoje vamos desejar o bem, sem olhar a quem, acabar com a solidão, no ato de estender a mão". A letra da canção da banda brasileira Melim retrata muitas pessoas da região Sul de Santa Catarina, que se doam diariamente para ajudar o próximo.

Assim, tem sido a vida de Telmo Gomes Martinello, de 41 anos, que é morador de Criciúma, militar do Exército e pastor em uma igreja do município. Casado com Viviane Martinello e pai de Vitória e Isabela, atualmente está envolvido diretamente com mais de oito projetos sociais. 

Gomes conheceu a realidade de muitas pessoas carentes quando foi monitor no projeto Pelotão Esperança, do 28º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC), localizado em Criciúma, que tem como missão a de atuar na educação integral de crianças carentes na faixa etária de 8 a 12 anos, que vivem em situação de risco social.

"Eu comecei a visitar às famílias das crianças. Comecei a ver a realidade delas, desde a falta do mínimo até a falta de estrutura", relembra. No vídeo abaixo ele conta um fato que marcou a sua vida. Veja no vídeo:

Nesta época, em 2005, o pastor e militar já participava de projetos com crianças no bairro Renascer e no bairro Mina do Mato e visitava os detentos no Presídio Santa Augusta para pregar o evangelismo.

Em 2014, nasceu a Abba Pai Church, onde é pastor atualmente. Essa igreja possui um espaço social, localizado na frente da Toyota, na região da Próspera, em Criciúma, que se chama 'Abba Social'. Em um dos projetos em que Martinello está à frente já foram doados cerca de 90 toneladas de alimentos durante a pandemia de coronavírus. 

Entre os projetos que participa ativamente está o 'Mercado Solidário' (doação de alimentos), o 'Bazar Solidário' (doação de cinco ítens por pessoa), 'Projeto contêiner' (oferece banho aos moradores de rua), 'Salão de Beleza' (visa resgatar a memória afetiva dos moradores de rua), 'Restaurante'(onde os moradores de rua se servem e também é o momento de conversar com eles), assistência psicológica (oito psicólogos atendem voluntáriamente pessoas carentes), assistência médica e jurídica.

Há ainda um projeto de curso técnico, o 'Haja Luz', de eletroeletrônica predial e industrial e robótica. Esse curso entra na parte de desenvolvimento da pessoa, e não mais apenas de assistência.

"Trabalhamos o social de duas formas a assistência e o desenvolvimento, se apenas damos assistência podemos gerar uma bengala, um paternalismo, por isso tenho que assistir e desenvolver, por isso que fazemos o revesamento do 'Mercado Solidário', é três meses assistido e depois outra família entra", explicou. 

"Quando você se inclina para o outro a vida faz muito mais sentido. Primeiro, faz sentido para mim, segundo, de alguma forma vou aliviar alguém que é a minha imagem, é um ser humano. Então não fizemos pergunta de religião para ninguém que é assistido, não interessa, não precisa congregar com a gente, não precisa ser evangélico. Eu gosto da frase da madre Tereza de Calcutá, ela dizia que o que ela fazia era uma gota no oceano, mas sem essa gota o oceano seria menor. Então, se é pouco ou não, é a minha contribuição", disse. 

No mesmo local existe ainda o Espaço Alegria, um playground para crianças, onde ocorrem festas de aniversários para crianças carentes. Foi nesse espaço que Martinello vivenciou a experiência de realizar o sonho de uma criança que nunca tinha soprado uma vela de aniversário. No vídeo ele conta como foi, assista:

Esses são apenas alguns dos projetos do dia a dia de Martinello. Cerca de mil famílias estão cadastradas no Abba Social, sendo estas, não apenas de Criciúma, mas de municípios vizinhos. Em um momento de sua vida Martinello fez a escolha de se colocar cada vez mais presente na vida do outro, e foi essa a história que a reportagem trouxe para esse quadro, o 'Personalidades do Sul'.

Leia mais sobre: