navegue nos blocos da capa

Opinião

OPINIÃO

Quatro questões sobre economizar dinheiro

As escolas tratam de geografia, geometria, mas nunca de economia.

20
NOV
2015
| 16h36
16h36
Redação
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições

Matheus Lopes Duarte

Dinheiro é um tema bem presente em nossas vidas. Por mais que alguns prefiram se afastar desse assunto justificando uma abnegação aos bens materiais, ele vez ou outra ressurge como protagonista do nosso cotidiano.

Não é feio, muito menos imoral. Dinheiro, economia, juros e investimentos, tudo isso nos cerca todos os dias e não há porque fugir. Sábio é aquele que aceita essa condição e cria meios de melhor sobreviver a ela.

Trabalho diariamente na área financeira. Minha função faz com que eu entre em contato com diversas pessoas.

Empresários e funcionários, pouco instruídos e graduados, precavidos e aventureiros. A grande maioria das pessoas que converso demonstram ter dificuldades em lidar com o dinheiro. Uns por medo. A maioria por falta de vontade.

Economizar, por exemplo, é uma palavra que divide opiniões. Se há um grupo que o faz sem nem pensar muito, uma parcela da população simplesmente ignora essa prática. Mas qual a razão disso? Se todos nós sabemos que economizar faz bem, por qual motivo não fizemos?

Pensando nisso, cheguei a quatro questionamentos que fazemos na hora de economizar:

1) Nunca sobra... Como vou economizar?

Essa é a mais clássica de todas as perguntas. Tornou-se clássica por realmente fazer sentido. Afinal, se gasto tudo o que ganho, como poderei guardar? A resposta dessa pergunta é fácil: se não sobra nada admita que algo está errado! Ninguém prospera gastando tudo o que recebe. Isso é básico.

Controle melhor suas receitas e despesas. Saiba exatamente para onde está indo o seu dinheiro. Posso lhe garantir que na maioria das vezes é possível melhorar alguma coisa.

2) Quanto eu devo economizar?

Uma pergunta bem básica. O interessante nesse caso é ter bem definido suas receitas e suas despesas. Analise os números com atenção e procure pontos onde seja possível readequar alguma coisa a fim de que você tenha algum valor disponível. Fazendo isso, estabeleça uma meta.

A sua meta deve ter duas características básicas. Primeiramente ela deve ser possível. Estabelecer como meta guardar 90% do seu salário só fará com que você desista logo no primeiro mês e ache que essa história de guardar dinheiro não é algo para você.

O segundo ponto é que ela precisa ser desafiadora. Guardar 0,1% do seu salário não irá agregar muita coisa em sua vida. Entendo que há a necessidade de que você se desafie a controlar suas finanças. O ego do ser humano é uma ferramenta extraordinária, e ter o domínio sobre o seu dinheiro deve ser uma questão de honra.

3) Mas por que eu devo economizar?

A resposta a essa pergunta também é fácil: tanto faz! O objetivo, ou a razão pela qual você está economizando é secundário. O foco é que o hábito de economizar faz bem para a sua vida. Entenda que pessoas que economizam vivem melhor. Estão preparadas para imprevistos e geralmente não se apavoram com gastos inesperados.

4) Como criar esse hábito?

Em um mundo ideal, todos nós teríamos esse hábito. Economia refere-se à administração de recursos escassos e isso é útil para uma porção de coisas em nossa vida. Mas por que não desenvolvemos essa rotina? As escolas, pelo menos a que eu estudei, não tratam do assunto. O foco é geografia, geometria, mas nunca economia.

É inadmissível que um aluno conclua o ensino médio sem uma definição clara de inflação, por exemplo. E eu saí. Assim como eu, milhares de outros alunos passaram por esse mesmo problema. No entanto, ao se deparar com a vida adulta somos confrontados com a inflação e com dezenas de outras condições econômicas das quais não conhecemos nada.

Nesse quesito, acho que os pais também tem papel fundamental. A maioria até tenta ensinar, mas apresenta a ideia de que economizar é apenas se privar daquilo que se tem. “Se você comer tudo agora não vai ganhar mais!” O que isso desperta na criança? “Assim que eu for adulto e tiver o meu salário, vou gastar comprando tudo aquilo que precisei economizar!”. Destaque às crianças que economizando é possível alcançar diversos benefícios e não apenas lhe apresentar os pontos negativos.

Esses são tópicos que eu acredito serem os mais genéricos quando o assunto é economizar. Cada um de nós acaba tendo questões mais especificas. Mas o mais relevante é que a vontade de obter as rédeas da sua vida financeira é o primeiro passo em direção ao sucesso.

Leia mais sobre: economia, opinião, economizar
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
 Torcida satisfeita com o resultado em casaEquipe de handebol da Satc garante bons resultados em 201790 Anos de Rosa Maria Marques Sandrini Eventos marcam aniversário de 61 anos de Lauro MüllerCruzamento fechado para manutenção em CriciúmaVindima Goethe: celebração evidencia as mãos que colhem