InternetData CenterAssinante

Nota de falecimento: morre Henrique Córdova, ex-governador de Santa Catarina

Ele estava internado há dez dias com complicações da Covid-19
Nota de falecimento: morre Henrique Córdova, ex-governador de Santa Catarina
Foto: São Joaquim Online
Por Lucas Renan Domingos Em 15/11/2020 às 20:40

Morreu neste domingo, dia 15, o empresário e ex-governador de Santa Catarina Henrique Córdova, que exerceu o mandato pelo PSD entre 1982 e 1983. Ele, que é morador de São Joaquim, estava internado há dez dias em Lages. A causa da morte, inicialmente é complicações da Covid-19.

A informação foi dada pelo radialista Leoberto Waltrick, de São Joaquim, para a Rádio Eldorado. Além de ex-governador, Henrique Córdova foi deputado estadual, federal e vice-governador. Ele tinha 82 anos e deixa dois filhos, um neto e a esposa.

Histórico de Henrique Córdova:

Nasceu em 18 de fevereiro de 1938, em São Joaquim/SC. Filho de José Henrique Córdova e de Itamira Batista Velho de Córdova. Casou com Marita Stadler Córdova, com quem teve filhos.

Na terra natal fez os estudos primários, no Grupo Escolar Professor Manoel Cruz, e o curso ginasial realizou no Colégio Diocesano, em Lages/SC. Concluiu o curso científico no Colégio Catarinense, em Florianópolis/SC. 

Em 1957, ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), fez curso de extensão na Universidade de Santiago do Chile e bacharelou-se em Direito, no ano de 1963. Durante a graduação, elegeu-se Presidente do Centro Acadêmico e foi Chefe Executivo da Federação dos Estudantes Universitários do Rio Grande do Sul (FEURGS).

Exerceu a advocacia na região serrana e sul de Santa Catarina, especializou-se em direito penal, atuando em inúmeros júris pelo Estado. Como muitos jovens na época, defendia reformas de base, com o início do Regime Militar em 1964, por estas ideias foi preso.

Em 1966, atuou no primeiro cargo público, assumiu a Secretaria de Planejamento da Prefeitura de São Joaquim.

Pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), disputou vaga de Deputado Estadual à Assembleia Legislativa de Santa Catarina, com 6.065 votos, ficou na quinta suplência do seu partido, obteve convocação em 1969 para a  Legislatura (1967-1971) e assumiu a função.

No pleito seguinte, com 13.367 votos, elegeu-se Deputado para a Assembleia Legislativa catarinense, pela ARENA, compondo a  Legislatura (1971-1975). Neste período, exerceu a liderança da bancada do partido na Assembléia, entre 1972 e 1974, e participou das Comissões de Justiça e de Ciência e Tecnologia. Ocupou a 1ª Vice-Presidência do diretório da ARENA no Estado.

Nas eleições de 1974, foi eleito Deputado Federal por Santa Catarina, pela ARENA, com 35.399 votos, tomou posse à 45ª Legislatura (1975-1978). Durante o mandato, integrou as seguintes Comissões: 

  • Constituição e Justiça;

  • Desenvolvimento da Região Sul (Suplente);

  • Economia, Indústria e Comércio; e

  • Trabalho e Legislação Social (Suplente).

Exerceu a função de 3º Secretário da Fundação Milton Campos, criada pela ARENA, com objetivo de promover pesquisas e estudos no campo político.

Indicado ao cargo de Vice-Governador de Santa Catarina na chapa encabeçada por Jorge Bornhausen, foram eleitos de forma indireta, no ano de 1978. Assumiu o Governo do Estado, entre 14 de maio de 1982 e 15 de março de 1983, após a renúncia de Bornhausen para disputar vaga ao Senado. Interinamente, assumiu o governo Epitácio Bittencourt, Presidente da Assembleia Legilsativa, e Francisco May Filho, Presidente do Tribunal de Justiça.Transmitiu o cargo para Esperidião Amin.

Entre 1983 e 1985, ocupou o cargo de Diretor de Operações Diversas da Caixa Econômica Federal, na capital federal, Brasília.

Em 1986, elegeu-se Deputado Federal Constituinte para a 48ª Legislatura (1987-1988) e para a 48ª Legislatura (1987-1991), pelo Partido Democrático Social (PDS), com 40.634 votos. Iniciou seu mandato na Assembleia Nacional Constituinte em fevereiro de 1987. Nesta legislatura, integrou as seguintes Subcomissões e Comissões:

  • Subcomissão do Poder Legislativo;

  • Subcomissão do Sistema Eleitoral e Partidos Políticos (Suplente);

  • Comissão da Organização dos Poderes e Sistema de Governo;

  • Comissão da Organização Eleitoral, Partidária e Garantia das Instituições (Suplente).

Filiou-se ao Partido da Frente Liberal (PFL), em 1996, sendo membro do diretório regional e conselheiro da legenda em Santa Catarina. 

Concorreu duas vezes ao cargo de Prefeito de São Joaquim, nas eleições de 2002 e 2012, não foi eleito nas duas tentativas.

Possui na terra natal uma fazenda produtora de maçãs.