InternetData CenterAssinante

Criciúma Esporte Clube e seus treinadores

Criciúma Esporte Clube e seus treinadores
Por Willi Backes Em 24/05/2021 às 09:12

 

Texto – Willi Backes.

Sem ordem cronológica ou alfabética, de 1.968 à 2.021, pesquisados na memória, colaborações amigas e nos poucos registros públicos, alguns dos profissionais Treinadores que desempenharam com seus serviços no Criciúma Esporte Clube. Carreiras que apresentam histórias de conquistas de títulos regionais, nacionais, internacionais e mundiais:  

Lauro Búrigo - Ítalo Arpino – Daltro Rodrigues Menezes – Pedro Figueiró – Francisco “Chiquinho” de Assis da Silva Júnior -  Lori Paulo Sandri -  Eduardo Antunes “Edu Coimbra” -  Sérgio Lopes - João Francisco – Valdir Atahualpa Ramires Espinosa – José “Zé Carlos” Santos da Silva - Luiz Felipe Scolari - José Luiz Carbone - Levir Culpi -  Ivo Wortmann - Sérgio Ramires - Arthur Neto - Luiz Gonzaga Milioli - Cláudio Duarte - Sérgio Cosme – Luiz Carlos Bezerra “Lula Pereira” - Rui Guimarães - Rafaelle Graniti – José Macia “Pepe” - Paulo Emílio - Celso Teixeira – Jorge Antônio Dornelles Carpes “Cassiá” – Alexi Stival “Cuca” – Olávio Dorico Vieira “Vacaria” – “Edson Gaúcho” José Valandro - Abel Ribeiro -  Luís Carlos “Lisca” Lima de Lorenzi - Gilson Kleina - Vagner Benazzi - José Luiz Plein - Dorival Junior - Luiz Carlos Barbieri - Guilherme Macuglia – Paulo Roberto Rocha “Paulinho Criciúma” - Gelson Silva – “Roberto Cavalo” Fernando Schneiger -  Renê Carmo Kreutz Weber - Paulo Campos - Leandro Machado - Roberto Fonseca - Itamar Schulle -  Carlos Báez (Paraguaio) – Roberto “Beto Almeida” – Paulo Sérgio Poletto – Abel de Souza Ribeiro - Wilson Vaterkemper - Argel Fucks – Augusto Sérgio “Guto Ferreira”  - Uiles Geraldo Gonçalves de Freitas “Mazola Júnior” -  Mauro Fernandes -  “Márcio Goiano” de Azevedo – “Silvio Criciúma” Nicoladelli - Paulo Comelli – Osvaldo “ Vadão” Fumeiro Alvarez - Ricardo Drubscky – Luiz Carlos Sorolli “Caio Junior” -  Wagner Lopes - Gilmar Dal Pozzo – Antônio Jorge “Toninho Cecílio” Sobrinho -  Luiz Henrique “Luizinho Vieira” -  “Moacir Junior” Vieira de Araújo – Eduardo “ Duca” de Castro Filho - Dejan Petrovic -  Deivid de Souza -  Luiz Carlos Winck – Gilberto Cirilo “Beto Campos” - Hemerson Maria e Paulo César Baier.

TREINADORES CAMPEÕES DO CRICIÚMA EC

Os títulos conquistados no Campeonato Catarinense, Copa do Brasil e Brasileiro Séries B e C, tiveram efetivas participações dos treinadores, considerando que nem todos que começaram na temporada estiveram até o seu final: Lauro Búrigo (68), José “Zé Carlos” Santos da Silva (86), Levir Paulo Culpi (89/90/91), João Francisco (90), Luiz Felipe Scolari (91), Sérgio Ramires (93), Luiz Gonzaga Milioli (95), Olávio Dorico Vieira “Vacaria” (98), “Edson Gaúcho” José Valandro (02), Luiz Carlos Barbieri (05), Guilherme Macuglia (06), Osvaldo “Vadão” Fumeiro Alvarez (13).

CURIOSAS E VITORIOSAS TRAJETÓRIAS

Vadão, campeão em 2.013, entre os treinadores campeões, talvez seja àquele que antes de treinar o Criciúma EC já tivesse percorrido longa carreira vitoriosa. Os demais, tiveram no Criciúma EC “mola propulsora” inicial para suas carreiras profissionais. No clube, inúmeros deram muito, outros nem tanto, contribuição para construir a história da Entidade.

A leitura da relação parcial dos treinadores que iniciaram aqui e continuaram suas carreiras após a passagem pelo Criciúma EC, impressiona pela relevância. Testemunho e exposição dos seus currículos seria um imenso memorial esportivo.

HORA E VEZ DO PAULO CÉSAR BAIER

Como praticante quando jogador de futebol, Paulo César Baier está entre àqueles no andar de cima da tabela de qualidade, desempenho e conquistas no futebol brasileiro. Caráter ilibado, liderança no grupo de trabalho sem barulho ou demonstração de superioridade, autossuficiente nas decisões, e, dedicado do primeiro ao último minuto da peleia. Bravo guerreiro.  

Nada mais simbólico para o momento do que a frase popular “uma andorinha só não faz verão”. Assim é no futebol. Integração, pleno entendimento, objetivos e metas comuns entre a Entidade, grupo de jogadores e comando técnico, permite imaginar resultados alvissareiros. Lento, gradual e seguro. Nada acontece do de repente ou de súbito, a não ser o susto.

Paulo César Baier como profissional no futebol tem as características da persistência e obstinação. Na roleta do jogo jogado é a pedra em que se deve apostar. Ganhando, vencem todos.