InternetData CenterAssinante

Agricultura nos tempos do império.

Agricultura nos tempos do império.
Foto: Blog Diário Imperial
Por Willi Backes Em 29/07/2020 às 10:04

O Imperador D. Pedro II, em 28 de Julho de 1.860 criou a Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, em tempos que o Brasil após período de extrativismo da madeira, notadamente do Pau-Brasil, entrava com vigor na produção da cana-de-açúcar e do café. Em 1.930 o Governo Federal transformou a Secretaria em Ministério da Agricultura, tendo por Ministro Joaquim Francisco de Assis Brasil. Em 2.001, a denominação passou a ser de Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, quando o Ministro era Marcus Vinícius Pratini de Moraes, adotado pelo subsequente Ministro Roberto Rodrigues. 

O MAPA DA AGRICULTURA.

Em 2.020, quando o “MAPA” comemorou 160 Anos de Fundação, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, Engenheira Agrônoma, Empresária e Política do Mato Grosso do Sul é a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O Brasil em 2.020 produziu 260 milhões de toneladas de grãos na agricultura e, 29 milhões de toneladas de proteínas em carnes da pecuária nacional. 

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA tem sob sua gestão as políticas públicas de estímulo à agropecuária, pelo fomento do agronegócio e pela regulação e normatização de serviços veiculados ao setor.

FESTAS DO COLONO. 

Desde as décadas de 40/50 do século XX, Forquilhinha e demais municípios circunvizinhos, procurou organizar a sua Festa do Colono, sempre com a intenção de reunir a produção na agricultura e pecuária, historicamente relacionada à cultura imigrante alemã estabelecida no  Brasil. Em 1.924, data comemorativa do Centenário da Imigração Alemã pro Brasil, ocorrida com primeiro grupo em 25 de Julho de 1.824 na Feitoria Real do Linho Cânhamo, na hoje São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, promoveu-se um grande evento denominado “Festa do Colono”. Logo a modalidade do evento se expandiu por todo sul brasileiro, notadamente onde estavam estabelecidas famílias imigrantes alemã.

A data comemorativa tanto cresceu e repercutiu que em 5 de Setembro de 1.968, o Presidente da República Artur da Costa e Silva, através de Lei Federal sob o número 5.496, instituiu o “Dia do Colono”, sempre no dia 25 de Julho de cada ano. 

FESTA DO MOTORISTA E DO AGRICULTOR.

Anos depois do surgimento da Festa do Colono, foi acrescido à data também a denominação “Dia do Motorista”, que tem no calendário São Cristóvão como protetor da classe profissional. O Santo Católico São Cristóvão é definido como “aquele que carrega Cristo” e tem no calendário o dia comemorativo em 25 de Julho.

Em 27 de Julho de 1.960, quando das comemorações do centenário da criação do Ministério da Agricultura, o Presidente Jucelino Kubitschek através do Decreto Lei n. 48.630, criou em homenagem à data 28 de Julho com a denominação honrosa de “Dia do Agricultor”, festejada em todo território nacional.

AGRICULTURA FAMILIAR.

Em 2.018, o Senado Federal presidido por Eunício Oliveira, aprovou Lei n. 13.776 que instituiu a Semana Nacional da Agricultura Familiar, que passaria a ser comemorada sempre na semana em que figurava o dia 24 de Julho de cada ano.

Criada em 2.014 pela FAO – Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, o Dia Internacional da Agricultura Familiar é comemorada no dia 25 de Julho de cada ano.