InternetData CenterAssinante

O turista como ele é

Promover o turismo é olhar no espelho
O turista como ele é
Foto: Divulgação
Por Willi Backes Em 05/07/2019 às 15:32

O TURISTA COMO ELE É.

Talvez a primeira imagem que vem à memória quando a expressão turismo ou turista é soletrada, é aquela onde uma carreira de alegres passageiros estão desembarcando de uma aeronave, transatlântico, ônibus ou veículo particular, levando a reboque malas e mais malas, e com carteira recheada. Não cito o transporte ferroviário pois este, infelizmente, está abolido da vida nacional para esse tipo de usuário.

Até que essa cena se torne real, muitos são os anteparos que necessariamente precisam ser modelados e outros, ultrapassados. Para chegar até esse padrão de usuário consumidor, é preciso cultivar calos nas mãos, pés e comunicação.

USUÁRIO NO QUINTAL VIZINHO.

É inapropriado convidar, por mais íntimo que for o destinatário, para visitar e usufruir o que sua casa irá oferecer, sem ter segurança do acesso ao local, calor e sabor do café que será oferecido, do bom humor dos demais presentes recepcionistas.

Provocar pessoas desejáveis, para que estas saiam do seu domínio e conheçam espaços alheios, praticando o que se conveniou chamar de fazer turismo, é ato de gente teimosa, empreendedora e investidora. Quando se acredita em uma ideia, um projeto, a teimosia para realiza-la é virtude. O empreendimento necessariamente pressupõe ato coletivo. Investimentos de recursos pessoais e financeiros são condicionantes para o sucesso de boa ideia em projeção.

Visão panorâmica aproxima o horizonte. Antes, as palavras e as mãos tocam os próximos. Os próximos são mais possíveis de serem convidados e se convencidos, tornam-se aliados.

PROMOVER TURISMO É OLHAR NO ESPELHO.

No sul e em todo o Brasil, as cidades de Gramado e Canela no Rio Grande do Sul, são exponenciais referencias de como tratar atividade econômica relacionado ao turismo cultural, gastronômico e de lazer. Santa Catarina é Estado com potencialidades e realidades incontestáveis. Pequenas e médias comunidades catarinenses souberam impulsionar para consumo interno e externo suas potencialidades. Algumas das referências: Treze Tilias, Pomerode, Balneário Camboriú, Itapema, Piratuba e no sul, a italiana e maravilhosa Nova Veneza.

Em todas essas referências Barrigas Verdes e Rio Grandenses, são público e notório que as edificações físicas, institucionais e promocionais foram resultantes de parcerias de recursos e projetos públicos com os privados.

BALNEÁRIO RINCÃO NO CAMINHO SEGURO.

Sob gestão do Prefeito Jairo Custódio, em três anos o Balneário Rincão, município mais jovem do sul catarinense, espraia ações e obras em todo o seu território, com intuito primordial em organizar e implantar condições apropriadas para escalar candidatura de bom destino turístico.

Organizar para promover e trilhar para o turismo, exige inserção da construção civil, meio ambiente, educação, segurança, comércio, indústria e serviços locais, comunicação, gastronomia, equipamentos e acima de tudo, estado de espírito, e, como se diz no popular – todos puxando a corda para o mesmo lado e objetivo.

O turista consumidor regional e circunvizinho, além de observar a tempos, está aderindo de todas as formas a esta transformação do Balneário Rincão. Tudo passa pela credibilidade de quem está à frente das ações.

Os turistas transeuntes virão com naturalidade em futuro próximo, como água em aqueduto.