InternetData CenterAssinante

Prestes a ser absolvido, Moisés precisa ser menos coronel e mais político e abrir o mar

Justiça desmontou tese de ilegalidade do reajuste dos procuradores
Prestes a ser absolvido, Moisés precisa ser menos coronel e mais político e abrir o mar
Foto: Secom
Por Aderbal Machado Em 26/11/2020 às 07:58

Seria uma adivinhação interessante crer na liberação do governador Carlos Moisés, lá atrás, nofervor da discussão, nos dois processos de impeachment, mas está acontecendo e dificilmente será punido, dadas as últimas circunstâncias.

Afastado, tem tudo para retornar ao comando na segunda-feira. Já livre de um dos casos - o dos respiradores -, está para ser liberado também do caso da equiparação salarial dos procuradores do Estado com os da Assembleia. Porque a Justiça considerou legal e porque a governadora tornou sem efeito. A decisão do TJ deverá servir para a retomada da equiparação, sem possibilidade de controvérsias.

No meio do quiproquó poucos consideravam assim. O resultado disso se forjou numa série de incongruências e exageros de parte dos próprios deputados, com seus argumentos baseados em teses nada sólidas - como comprovaram os desembargadores, entendidos no assunto.

De qualquer maneira, passada a procela, Carlos Moisés, em voltando, precisa fazê-lo mudando a sua estratégia político-institucional. Como vencedor - e no caso será, em sendo absolvido - precisa ser humilde e dar o bom exemplo de aproximação sem se degradar, nem descer o nível. Enfim, politicar devidamente no exercício do cargo. Deixar de ser coronel dos bombeiros um bocadinho.